Gestão de Equipe

Aprenda a usar a remuneração fixa e variável para motivar seu time

Aprenda a usar a remuneração fixa e variável para motivar seu time

Publicação : 27/10/2020

Por Viviane Rodrigues

10 min

gestora estuda programa de remuneração fixa e variável
gestora estuda programa de remuneração fixa e variável

Motivar os colaboradores para que eles trabalhem na sua produtividade máxima é uma das grandes tarefas que quase todas as empresas devem cumprir. Nesse sentido, fazer um mix de remuneração fixa e variável pode ser uma boa ferramenta para dar aquele incentivo a mais que a sua equipe estava esperando.

A remuneração é toda a quantia que os trabalhadores recebem, o que inclui benefícios, bonificações, prêmios e incentivos — além do salário, é claro. É preciso entender bem os conceitos e as diferenças entre eles para construir uma política que seja, de fato, atraente para os seus talentos.

Neste artigo, vamos explicar as diferenças entre remuneração fixa e variável, dar exemplos dos dois casos e tirar suas dúvidas sobre este assunto. Assim, você poderá incorporar uma medida a mais para motivar a equipe e ter ótimos resultados.

Se você se interessa por este assunto, aproveite para baixar o nosso e-book gratuito e aprenda a calcular a remuneração variável:

O que são remuneração fixa e variável?

A primeira coisa que precisa ficar bem clara é que remuneração e salário são conceitos bastante diferentes. O salário é o valor-base que um trabalhador recebe pela atividade profissional desenvolvida, e há um mínimo estabelecido por lei.

De acordo com a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), toda empresa deve pagar um salário aos seus funcionários, e esse pagamento não pode ser mais baixo do que o salário mínimo nacional. Mas, além do salário mínimo, algumas profissões têm o seu próprio piso salarial que precisa ser cumprido.

Portanto, apesar de ser comum ouvir a expressão “salário variável”, agora você já sabe que ela não é correta. O salário é um valor garantido ao qual o trabalhador tem direito pela prestação dos seus serviços à empresa e não pode sofrer alterações, a menos que haja alguma justificativa, como faltas do funcionário.

De uma forma simplificada, podemos dizer que a remuneração é a soma de todos os valores que o trabalhador recebe, quer estes sejam entregues em dinheiro ou em outro formato. Assim, vale-transporte, cartão alimentação ou refeição, vale-cultura, comissões e outros benefícios fazem parte da remuneração.

Exemplos de remuneração fixa e variável

O salário é a base da chamada remuneração fixa. Outros itens que estão nesse pacote são os benefícios obrigatórios, como adicional noturno e adicional insalubridade. Se a empresa oferecer outros benefícios, como vales e plano de saúde, eles também compõem a remuneração fixa. Ou seja, trata-se de um valor que não tem alteração ao longo dos meses.

Já a remuneração variável (RV) é diferente. Como o próprio nome sugere, o seu valor pode se alterar de um mês para o outro — aliás, ela nem precisa ser entregue todos os meses, ou ter datas definidas. Normalmente, a remuneração variável está relacionada ao desempenho do colaborador, da equipe ou da empresa como um todo.

Alguns valores que compõem esse tipo de remuneração são as comissões em vendas, participação nos lucros, bônus por alcance das metas, gorjetas, entre outros. Estes exemplos de remuneração fixa e variável são, muitas vezes, combinados dentro de uma mesma empresa para oferecer um combo atrativo para os funcionários.

Remuneração variável: vantagens e desvantagens

O programa de remuneração variável precisa ser bem estruturado para gerar os resultados esperados. Mas, ainda assim, terá vantagens e desvantagens — como todas as outras decisões estratégicas de uma empresa. Vamos pontuar a seguir os principais pontos aos quais você deve ficar atento antes de implementar o seu plano de RV.

Vantagens

As vantagens da remuneração variável estão muito relacionadas à motivação e a um melhor desempenho dos colaboradores. Veja as principais:

  • Aumentar a motivação e promove uma maior entrega dos colaboradores;
  • Dá um maior incentivo para que as equipes alcancem a qualidade total;
  • Aumenta o engajamento da equipe com a missão, a visão e os valores da organização;
  • Reduz os custos fixos e as despesas da empresa;
  • Incentiva a participação dos colaboradores e das equipes nos ciclos PDCA.

Por falar em engajamento, está tendo dificuldade em manter as equipes engajadas com o distanciamento social? Veja aqui como resolver isso:

Desvantagens

  • As desvantagens da RV estão, normalmente, relacionadas a um planejamento ineficiente da política. Veja os principais pontos para evitar os erros que podem levar à insatisfação com a política:
  • Pode gerar frustração e ter o efeito contrário, da desmotivação, se as metas não forem SMART;
  • Alguns departamentos e funções podem ser mais difíceis de se encontrar as métricas e os indicadores corretos para mensurar o desempenho da equipe;
  • Tem o risco de gerar um ambiente excessivamente competitivo se não for executado de forma a estimular a colaboração.

Tipos de remuneração variável

As comissões são um dos tipos de remuneração variável mais comuns e costuma ser o que vem à mente quando se fala sobre RV. Para turbinar o desempenho da sua equipe de vendas, você pode assistir ao nosso webinar abaixo:

Mas existem outros tipos que você pode incorporar à sua estratégia para estimular uma produtividade ainda maior dos seus colaboradores. Vamos ver os principais a seguir.

Remuneração funcional

Você pode ter ouvido falar neste tipo de remuneração variável com outro nome: Plano de Cargos e Salários. Esta é uma RV bem tradicional no mercado e continua relevante para a retenção de talentos. O programa prevê a progressão salarial, de acordo com os cargos que a pessoa assume na empresa e pode levar em consideração também o tempo de casa.

Você também vai gostar do nosso kit para profissionais de RH, com outras ferramentas para ajudar na gestão das pessoas da sua empresa:

Bônus e gratificações

Muitas empresas têm a política de conceder aos funcionários um bônus ou uma gratificação quando uma determinada meta é alcançada. O valor pode variar de uma equipe para a outra e até mesmo de um colaborador para o outro. O importante é que os critérios sejam claros desde o início para todos os envolvidos.

Participação nos Lucros e Resultados (PLR)

O programa de participação nos lucros é regido pela lei 10.101/2000, que estabelece a participação de todos os colaboradores da empresa no programa. Os valores dessa gratificação são estabelecidos em convenção coletiva e podem ser um valor fixo que a empresa repassa aos funcionários ou um percentual sobre o resultado.

Remuneração por desempenho

Para estabelecer um programa de remuneração por desempenho, é preciso estabelecer os KPIs para cada equipe ou função. De acordo com o monitoramento desses indicadores, é possível definir se os profissionais terão direito ao incentivo. Este tipo de programa costuma ser uma boa escolha por ter critérios claros, que podem ser facilmente compreendidos pelos colaboradores.

Uma boa parte do sucesso de uma estratégia de implementação de remuneração fixa e variável na empresa está no estabelecimento de boas metas e de métricas e indicadores precisos para acompanhá-las.

Você pode tornar todo esse processo mais eficiente com um software de gestão de processos, como o STRATWs One. A ferramenta transforma em processos a sua metodologia de gestão. Para cada processo, você pode estabelecer os KPI chave para monitorar o desempenho das equipes. Com esses dados, fica muito mais fácil implementar um programa de remuneração fixa e variável.

Atualmente, o STRATWs One atende mais de 180 mil usuários em cerca de 20 países. São aproximadamente 1.000 empresas que já contam com a ajuda da ferramenta para tornar a sua gestão estratégica muito mais simples e eficiente.

Faça como Unimed, Dotz, Centauro e outras: peça agora mesmo uma demonstração gratuita e revolucione a gestão da sua empresa!

Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *