Matriz SWOT: entenda como enriquecer seu planejamento

CONTEÚDO

Matriz SWOT

CONTEÚDO

Se preferir, clique no player para ouvir a narração do nosso post sobre análise de Matriz SWOT!

Antes de definir os objetivos da empresa, é fundamental entender onde a organização está de fato. Afinal, se não souber traduzir a realidade, qualquer ação poderá ser pouco eficaz. Por isso, a Matriz SWOT é uma ferramenta muito utilizada em planejamentos estratégicos, por exemplo.

Isso porque ela ajuda a entender as fraquezas, diferenciais, oportunidades e ameaças, dando assim, uma visão verdadeira sobre quais realizações a organização pode alcançar de fato.

Por isso, te convido a entender melhor essa metodologia, que será capaz de entregar muita vantagem competitiva para a sua empresa. Continue a leitura e saiba mais sobre a análise SWOT.

Vamos lá?

Antes, confira o template 100% gratuito que a Siteware preparou para você de Matriz SWOT. Baixe agora:

banner-swot


O que é a Matriz SWOT?

A matriz SWOT (ou matriz FOFA em português) é uma ferramenta que pode ser utilizada no planejamento estratégico, ou também nos planos de negócios, auxiliando a entender o posicionamento da empresa no mercado. Dessa forma, sua finalidade é avaliar os ambientes internos e externos de uma organização para apoiar na tomada de decisões.

Na prática, análise SWOT é a sigla em inglês para:

  • Forças (Strengths);
  • Oportunidades (Opportunities);
  • Fraquezas (Weakness);
  • Ameaças (Threats).

Quando olhamos para a tradução das palavras, entendemos então porque no português a matriz também pode ser chamada de FOFA.

análise  matriz SWOT completa

O conceito de Matriz SWOT foi desenvolvido pelos professores Kenneth Andrews e Roland Christensen por volta dos anos 60. Seu objetivo sempre foi aprimorar o planejamento estratégico das empresas, com foco nas tomadas de decisão.

Essa ferramenta se divide em duas frentes e em quatro quadrantes. A primeira delas é a análise interna, que visualiza os quadrantes: “pontos fortes” e as “fraquezas” dentro do ambiente empresarial

Além disso, temos a análise externa, que examina os quadrantes das “oportunidades” e as “ameaças” que seu planejamento pode enfrentar ao longo do tempo, por meio de fatores externos.

Vale lembrar que, para que o planejamento estratégico com a Matriz SWOT seja eficiente, a empresa deve fazer a análise periodicamente. Assim, as áreas da organização estarão em constante atualização e melhoria.

Se quiser se aprofundar mais e acompanhar alguns exemplos práticas, assista ao vídeo sobre a Matriz SWOT:

As vantagens da Matriz SWOT

Dentre as vantagens da Matriz SWOT você encontra uma maior organização e um reforço na otimização do seu desempenho. Mas os benefícios não param por aqui. Siga o fio: 

  • serve como base para a formulação de estratégias;
  • aumenta o conhecimento dos pontos fortes e fracos da empresa;
  • traz compreensão da posição da empresa em relação à concorrência;
  • contribui para a otimização do desempenho;
  • identifica ameaças e oportunidades que podem ser desenvolvidas;
  • facilita a visualização das características da organização;
  • ajuda a definir novas estratégias de mercado e de negócios;
  • serve como apoio para a exploração de novos mercados.

Com tudo isso em mente, pode-se afirmar que as vantagens da Matriz SWOT podem ser a base de um bom planejamento estratégico, que só pode ser feito com muito autoconhecimento. Vamos falar um pouco sobre isso?

Ferramentas para tornar a sua análise SWOT mais estratégica:

A Matriz SWOT possui uma sinergia muito forte com ferramentas da melhoria contínua, já que a matriz permite identificar pontos para melhorar e planejar. Nesse cenário, existem algumas técnicas e métodos que podem complementá-la bem, como:

1- Método PDCA

Quando começamos com a Matriz SWOT, estamos essencialmente estabelecendo um terreno sólido para o planejamento. Isso porque a matriz ajuda a compreender o ambiente interno e externo da organização. As forças e fraquezas internas, juntamente com as oportunidades e ameaças externas, fornecem uma visão clara do cenário em que a organização opera.

Integrando isso ao ciclo PDCA, começamos com a fase de Planejamento (Plan). Aqui, as informações obtidas da Matriz SWOT são cruciais. Elas orientam a definição de objetivos e a formulação de estratégias. Por exemplo, podemos planejar capitalizar uma força identificada ou abordar uma fraqueza específica.

Na fase de Execução (Do), colocamos esses planos em ação. As estratégias desenvolvidas a partir da Matriz SWOT são implementadas. Esta é a fase onde as ideias e planos se tornam ações concretas.

Seguindo para a fase de Checagem (Check), avaliamos o impacto das ações implementadas. Aqui, revisamos se as estratégias baseadas na análise SWOT estão funcionando conforme o esperado. Esta fase é crucial para entender a eficácia das ações e se elas estão realmente abordando os pontos identificados na Matriz SWOT.

Por fim, na fase de Ação (Act), fazemos ajustes com base nos feedbacks e aprendizados da fase de Checagem. Se uma estratégia particular não está funcionando, podemos revisitar a análise SWOT para entender por quê e ajustar nosso plano de acordo.

Se quiser saber mais sobre o ciclo de PDCA e como ele pode controlar e ajudar sua empresa na gestão dos projetos e processos, baixe agora mesmo a nossa ferramenta.

ciclo de pdca

2- Cinco Forças de Porter

A Análise das Cinco Forças de Porter foca na competitividade do mercado. Ela examina a rivalidade entre concorrentes, a ameaça de novos entrantes, o poder de negociação dos fornecedores e clientes, e a ameaça de produtos substitutos.

Integrar essa análise com a SWOT permite uma compreensão mais profunda das forças externas que afetam a organização, enriquecendo a seção de Oportunidades e Ameaças da SWOT com insights sobre o mercado e a indústria.

image Matriz SWOT: entenda como enriquecer seu planejamento

3- Modelo Canvas

O Modelo Canvas, também conhecido como Business Model Canvas, é uma ferramenta de planejamento estratégico usada para desenvolver ou documentar modelos de negócios existentes. Criado por Alexander Osterwalder, é visual e intuitivo, apresentando os componentes principais de um negócio de maneira clara e estruturada.

Quando usado em conjunto com a Matriz SWOT, o Modelo Canvas pode ajudar a identificar como as Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças se relacionam com diferentes aspectos do modelo de negócio. Por exemplo, uma “Força” identificada na SWOT pode estar relacionada a um “Recurso Principal” no Canvas, enquanto uma “Ameaça” pode impactar diretamente os “Segmentos de Clientes” ou as “Fontes de Receita”.

image 1 Matriz SWOT: entenda como enriquecer seu planejamento

5 perguntas para descobrir as forças e fraquezas

Na hora de preencher a sua Matriz SWOT, será necessário identificar as forças e fraquezas. Caso você tenha dúvidas, aqui estão 5 perguntas comuns para mapear o seu ambiente interno:

  1. Como a nossa cadeia de suprimentos pode contribuir para nossa vantagem competitiva ou representar um desafio que a compromete?
  2. Como a competência em gestão e a qualidade de nossos líderes podem afetar nossa posição competitiva, seja de forma positiva ou negativa?
  3. Como a nossa tecnologia pode impactar nossa vantagem competitiva, seja fortalecendo-a ou enfraquecendo-a?
  4. Como a nossa marca pode ser um ativo que nos diferencia positivamente dos concorrentes ou uma fraqueza que nos prejudica?
  5. De que maneira nossa localização pode ser um fator que nos beneficia ou nos coloca em desvantagem no mercado?

6 perguntas para descobrir as oportunidades e ameaças

Para definir as oportunidades e ameaças, é comum que as perguntas girem em torno da análise PESTEL. Ela possui esse nome porque é um acrônimo para fatores que envolvem política, economia, social, tecnologia, ambiental (environmental, em inglês) e leis.

Dessa forma, algumas perguntas para realizar essa análise podem ser:

  1. Quais questões ambientais podem representar riscos para as operações e reputação da minha empresa?
  2. Quais avanços tecnológicos ou mudanças no cenário tecnológico podem ameaçar a viabilidade do meu negócio?
  3. Que aspectos legais e regulatórios podem constituir ameaças para o meu negócio e sua conformidade com as leis aplicáveis?
  4. Quais fatores sociais podem representar desafios para o meu negócio?
  5. Quais fatores políticos podem representar um risco para a sustentabilidade do meu negócio?
  6. Quais fatores econômicos podem apresentar ameaças ao meu empreendimento?

Como fazer uma Análise SWOT?

Para fazer uma análise SWOT, você precisa entender o que pode ser considerado como fator externo e interno. Em segundo lugar, o ideal é reunir toda a equipe responsável pelo projeto – afinal de contas, nenhum planejamento se constrói sozinho

Confira uma breve explicação – com exemplos, é claro:

Passo 1: entendendo a Matriz SWOT

O primeiro passo é identificar o objeto de estudo. Pode ser uma dor ou dúvida que surgiu, como a necessidade de abrir uma nova filial em outro ponto da cidade.

Ainda como parte dessa etapa, será necessário estudar e pesquisar sobre o mercado. Podemos dizer que seria o momento de entender como seus concorrentes estão agindo e como é a atuação do segmento no novo local em que planeja abrir a filial.

Lembre-se que a Matriz SWOT auxilia na identificação das forças e oportunidades, no âmbito positivo, e das fraquezas e ameaças, como pontos de atenção.

Passo 2: Análise Interna SWOT

Nesta etapa da Matriz SWOT, as forças e fraquezas da empresa são analisadas. Esses pontos importantes podem ser encontrados e listados por meio de reuniões de brainstorming com a equipe.

A análise interna dos processos proporciona uma visão mais ampla sobre as vantagens e desvantagens que a empresa tem diante da concorrência. A partir dela, os pontos fracos podem ser eliminados ou aprimorados, e os pontos fortes são desenvolvidos para se tornarem peças-chave do sucesso do negócio.

Nesse caso, as forças são as vantagens que a empresa possui, principalmente em relação à concorrência. Por outro lado, as fraquezas podem prejudicar o andamento dos resultados e o atingimento das metas. 

Logo, é vital ter maturidade e sinceridade para identificar os pontos fracos. Confira algumas perguntas que você pode fazer para identificar esses pontos:

  • Como a qualidade em gestão dos nossos líderes nos dá uma vantagem ou desvantagem competitiva?
  • Como a nossa solução pode ser uma vantagem ou desvantagem competitiva?
  • Como a qualidade dos nossos colaboradores nos dá uma vantagem ou desvantagem competitiva?

Alguns exemplos de respostas:

  • Forças: equipe bem treinada, marca forte, localização privilegiada dos pontos de venda, gestores preparados, empresa capitalizada, maquinário moderno, cultura voltada para a excelência etc.
  • Fraquezas: atendimento ao cliente ruim, equipe de vendas desmotivada, softwares desatualizados, gestão não profissional, frota de veículos sucateada para entregas, clima organizacional ruim etc.

Passo 3: Análise Externa SWOT

Nesta etapa, vamos analisar as oportunidades e as ameaças, que se referem ao impacto dos fatores externos no desenvolvimento do planejamento. 

Embora esses fatores fujam do controle da empresa, seus impactos podem ser medidos com a natriz SWOT. Isto é, colocá-los no planejamento tende a deixar sua equipe mais preparada para seus possíveis efeitos.

Dessa forma, como o próprio nome já indica, as oportunidades são todas as forças que favorecem o posicionamento de marca e atingimento das metas.

Em contrapartida, as ameaças são as forças externas que agem negativamente sobre a empresa. Com isso em mente, confira algumas perguntas para identificar as oportunidades e ameaças:

  • Quais fatores geográficos nos dão uma vantagem competitiva?
  • Como os fatores econômicos estão influenciando nossa marca?
  • Quais fatores tecnológicos se apresentam como uma ameaça?

Nesse caso, alguns exemplos de fatores externos são:

  • Ameaças: clima chuvoso (para um resort na praia), escassez de água, matéria-prima mais cara, taxas de juros elevada, impostos elevados etc.
  • Oportunidades: real valorizado (para um agência de viagens ao exterior), reformas constitucionais em andamento, construção de uma nova estrada na porta de sua fábrica, inauguração de uma universidade próxima de sua academia, queda da taxa de juros etc.

Uma ótima forma de otimizar sua análise externa é utilizar outra matriz, a ANSOFF. Nela, o foco é analisar e planejar as estratégias de crescimento por meio de quatro quadrantes: entrada no mercado, desenvolvimento de produto, desenvolvimento de mercado e diversificação. Se quiser saber mais sobre o tema, não deixe de assistir ao vídeo:

Concluindo a análise da matriz SWOT

Por ser uma ferramenta simples de ser construída e bastante eficaz para esclarecer dúvidas e direcionar a estratégia, a análise SWOT pode ser utilizada para:

  • planejamento de pequenas ou grandes empresas; 
  •  análise de projetos;
  •  auxiliar em decisões de pessoas que não necessariamente tenham relação com o mundo corporativo.

Para usar o modelo de matriz SWOT no planejamento estratégico de forma bem-sucedida, é importante que toda a equipe esteja treinada e empenhada em dar o melhor de si para alcançar os objetivos.

Essa metodologia, assim como outras que contribuem para o desenvolvimento do plano estratégico, é uma alternativa para aprimorar os processos e, consequentemente, melhorar os resultados da empresa. 

Em outras palavras, se você quer tirar a estratégia do papel e executá-la de forma construtiva, foque nessas ferramentas e caminhe para o sucesso!

Como transformar fraquezas em forças e ameaças em oportunidades?

Ao reconhecer e aceitar as fraquezas, as empresas podem focar em capacitação e treinamento para superar lacunas de habilidades ou conhecimento. Por exemplo, se a falta de expertise digital é uma fraqueza de um time, investir em programas de formação pode não apenas mitigar essa fraqueza, mas também transformá-la em uma vantagem competitiva.

Além disso, muitas fraquezas operacionais podem ser superadas com investimentos em tecnologia. Uma empresa que luta com a eficiência da cadeia de suprimentos pode implementar sistemas de gerenciamento modernos para otimizar processos.

Em casos onde a solução não pode ser encontrada internamente, formar parcerias estratégicas com outras empresas pode ser a chave. Uma organização com habilidades limitadas em marketing digital pode se aliar a uma agência especializada, transformando essa anterior deficiência em uma força robusta por meio da colaboração, por exemplo.

Quando se trata de ameaças externas, a metamorfose em oportunidades exige uma reavaliação do ambiente de negócios. Por exemplo, uma mudança regulatória que inicialmente parece uma ameaça pode abrir portas para novos nichos de mercado ou para a reconfiguração de produtos ou serviços.

Ou ainda, a entrada de um novo concorrente no mercado pode ser a motivação necessária para inovar, melhorar a oferta de produtos ou explorar novos mercados.

3 exemplos de Matriz SWOT

A Matriz SWOT é uma ferramenta poderosa que ajuda a avaliar a situação atual de uma empresa, projeto ou estratégia, considerando seus pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças. Aqui estão três exemplos práticos de como a Matriz SWOT pode ser aplicada:

1. Empresa X: Expansão de mercado internacional

Pontos Fortes (Strengths):

  • Marca reconhecida globalmente.
  • Produtos de alta qualidade.
  • Equipe de gerenciamento experiente.

Fraquezas (Weaknesses):

  • Falta de presença em mercados estrangeiros.
  • Dependência de fornecedores específicos.
  • Barreiras linguísticas e culturais.

Oportunidades (Opportunities):

  • Crescente demanda por produtos no mercado internacional.
  • Tarifas reduzidas de importação em mercados-alvo.
  • Tendências favoráveis do setor em regiões específicas.

Ameaças (Threats):

  • Concorrência acirrada de players locais.
  • Flutuações cambiais imprevisíveis.
  • Regulamentações comerciais restritivas.

2. Startup Y: Lançamento de novo aplicativo de saúde

Pontos Fortes (Strengths):

  • Equipe de desenvolvimento altamente qualificada.
  • Parcerias com profissionais de saúde.
  • Recursos financeiros para pesquisa e marketing.

Fraquezas (Weaknesses):

  • Falta de reconhecimento da marca.
  • Competição de aplicativos estabelecidos.
  • Recursos limitados para campanhas de marketing em larga escala.

Oportunidades (Opportunities):

  • Crescente interesse em saúde e bem-estar.
  • Tendência de telemedicina e cuidados remotos.
  • Falta de concorrentes diretos no nicho de mercado.

Ameaças (Threats):

  • Reações negativas à privacidade de dados de saúde.
  • Mudanças rápidas nas regulamentações de saúde.
  • Possível surgimento de concorrentes inovadores.

3. Restaurante Z: Análise de desempenho interno

Pontos Fortes (Strengths):

  • Localização privilegiada em área movimentada.
  • Cardápio diversificado e autêntico.
  • Atendimento ao cliente elogiado.

Fraquezas (Weaknesses):

  • Altos custos de ingredientes sazonais.
  • Flutuações sazonais na demanda.
  • Problemas ocasionais de gestão de estoque.

Oportunidades (Opportunities):

  • Tendências crescentes de alimentação saudável.
  • Eventos locais e parcerias de marketing.
  • Potencial para expandir para serviços de catering.

Ameaças (Threats):

  • Concorrência de outros restaurantes na área.
  • Crises de saúde pública impactando as operações.
  • Mudanças nos gostos e preferências dos consumidores.

Erros mais comuns ao utilizar a matriz SWOT

A Matriz SWOT, mesmo com sua popularidade, muitos profissionais cometem erros ao aplicá-la, o que pode comprometer a eficácia de suas análises. Vamos explorar alguns dos erros mais comuns ao utilizar essa ferramenta:

  1. Generalizações excessivas: um dos erros mais comuns é a listagem de pontos de forma vaga ou genérica. Por exemplo, dizer que uma empresa possui “boa equipe” em suas forças sem especificar o que faz essa equipe se destacar pode não trazer insights valiosos para a análise.
  2. Falta de priorização: nem todos os pontos listados em cada categoria da matriz terão o mesmo impacto ou relevância. Ignorar a importância de priorizar esses itens pode resultar em esforços despendidos nas áreas erradas.
  3. Omissão de fatores críticos: algumas empresas, seja por falta de pesquisa ou viés de confirmação, podem negligenciar ou omitir fatores críticos que deveriam estar presentes na análise.
  4. Análise estagnada: a matriz SWOT não é uma ferramenta para ser usada uma única vez. O ambiente de negócios é dinâmico, e a matriz deve ser revisitada e atualizada regularmente. Ignorar essa necessidade pode levar a decisões baseadas em informações desatualizadas.
  5. Falta de ação pós-análise: a matriz SWOT é um meio, não um fim. Concluir a matriz sem desenvolver e implementar estratégias baseadas em suas descobertas é um erro crítico.
  6. Visão isolada: realizar a análise SWOT sem a contribuição de diferentes departamentos ou stakeholders pode resultar em uma visão unilateral e limitada. A diversidade de perspectivas enriquece e aprofunda a análise.

E quais são os próximos passos?

Por acaso, você já conhecia a Matriz SWOT? Viu como é simples? Essa ferramenta é fundamental para quem deseja implementar um sistema de planejamento estratégico, a fim de aumentar, engajar e turbinar os resultados, com recursos visuais que melhoram o desdobramento estratégico da empresa.

Afinal de contas, toda empresa deve procurar um sistema de gestão empresarial que permita o acompanhamento integrado do desempenho corporativo, além do monitoramento e da centralização de todos os indicadores, com foco na tomada de decisão.

Para isso, a dica de ouro é contar com a ajuda da tecnologia. Um software que possui todas essas características é o STRATWs One, que possibilita aos gestores organizarem sua rotina de trabalho com melhor gerenciamento e engajamento de todo o time.

Banner 16 Matriz SWOT: entenda como enriquecer seu planejamento