Produtividade

O que é melhor: colaboradores com propósito ou colaboradores engajados?

O que é melhor: colaboradores com propósito ou colaboradores engajados?

Publicação : 05/02/2018

Por Luiza Andrade

4 min

Alguns anos atrás eu escrevi um artigo chamado “Colaboradores felizes não são colaboradores engajados”. Esse post ainda continua bem popular e, outro dia, recebi um comentário nele. O comentário dizia “Colaboradores com propósito são mais produtivos. Isso é a mesma coisa que engajamento (já que eles estão motivados)?

Essa é uma ótima pergunta, que realmente me fez pensar. Eu queria ver se eu poderia trabalhar nessa resposta de uma forma lógica. Às vezes, temos a tendência de usar palavras com vários significados. Então, meu primeiro passo foi procurar pelas definições.

Encontrei um post muito bom no Pick the Brain sobre a diferença entre paixão e propósito:

A paixão é o que entusiasma uma pessoa. O propósito é o que a leva a fazer o que faz.

Dessa forma, nosso objetivo principal deve ser viver nosso propósito enquanto seguimos nossa paixão. Quando se trata do que nos torna mais produtivos, precisamos tanto da paixão quanto do propósito.

Por exemplo, se eu tiver um propósito forte eu vou precisar da paixão para tornar aquilo realidade. E eu posso ter uma paixão tremenda, mas se eu não tiver meu propósito definido, também vou ter problemas ao realizar. É completamente compreensível que, se você está trabalhando com algo que não se alinha a sua paixão e propósito, você consequentemente não vai ser superprodutivo.

No entanto, também existe a possibilidade de um colaborador ter paixão e propósito, mas não estar fazendo o trabalho que ele quer fazer. Dessa forma, ele continuará sendo improdutivo. Resumindo: para ser produtivo, um colaborador precisa de paixão e propósito. Mas ter paixão e propósito não faz com que alguém seja produtivo.

O que leva à segunda parte da pergunta. Se os colaboradores têm paixão e propósito, eles são contratados automaticamente? Agora, antes de chegar longe na discussão, devo dizer que acredito que motivação e engajamento dos colaboradores são coisas diferentes. Entenda os conceitos:

Motivação: é definida como o nível de energia, compromisso e criatividade que uma pessoa traz ao seu trabalho.
Engajamento: é a medida em que os colaboradores se sentem apaixonados por seus empregos, comprometidos com a organização e colocam esforços em seu trabalho.

A motivação é necessária para que os colaboradores se engajem, e paixão e propósito são necessários para gerar motivação. E ser motivado cria engajamento. Mas eu me pergunto se esse meio passo é necessário – já que motivação é paixão e propósito aplicado aos nossos empregos.

Como mostramos aos outros que temos paixão e propósito? Por estar motivado, certo?

Como você pode ver, o desafio com esta questão é que esses conceitos são difíceis de definir. Mesmo quando procuramos suas definições no dicionário, é um desafio entender como todas as partes se encaixam. E se não podemos criar um modelo universalmente reconhecido, como podemos esperar que as organizações e os gerentes possam contratar colaboradores que tenham paixão e propósito que se alinhem com a empresa?

As organizações devem se dedicar a entender o que esses termos significam para eles e como eles funcionam em sua cultura organizacional. Certifique-se de que toda a equipe saiba o que cada um deles significa, porque quando todos conseguem defini-los, todos conseguem criar estratégias para desenvolvê-los.

Texto adaptado daqui

Conteúdo