.elementor-element .elementor-swiper .swiper { overflow: hidden; }

Inovando na execução de projetos: o que é e suas ferramentas

CONTEÚDO

execução de projetos

CONTEÚDO

Na complexa arte da gestão de projetos, a execução eficaz separa os projetos bem-sucedidos dos fracassados. Dessa forma, muitos gerentes de projetos sabem que a teoria por trás da execução de projetos é apenas o começo.

No cenário atual, onde a eficiência e a adaptabilidade são cruciais, muitos gerentes de projetos se veem em uma encruzilhada, buscando maneiras de aprimorar a execução de projetos em suas organizações.

Isso porque a execução de projetos vai além do simples cumprimento de tarefas e prazos. Ela envolve uma compreensão profunda das necessidades da organização e também do projeto, com uma comunicação eficaz com a equipe e stakeholders e uma capacidade constante de adaptação às mudanças.

Neste artigo, vamos abordar estratégias específicas e métodos comprovados que podem apoiar a forma como você conduz a execução dos seus projetos. Desde a otimização de processos até a adoção de ferramentas tecnológicas avançadas para superar os obstáculos comuns e elevar a eficiência e eficácia na execução de seus projetos.

Continue a leitura e confira!

ferramentas de gestão

O que é a execução de projetos?

A execução de projetos é uma fase crucial no ciclo de vida da gestão de projetos, onde as ideias e planos são transformados em ações concretas para alcançar os objetivos estabelecidos.

Esta fase é frequentemente considerada o coração do processo de gestão de projetos, pois é aqui que o trabalho real acontece e os resultados começam a tomar forma. 

Durante a execução de projetos, os recursos (humanos, financeiros, materiais, tecnológicos) são mobilizados e utilizados eficientemente para realizar as tarefas do projeto. A gestão eficaz desses recursos é fundamental para o sucesso do projeto.

Paralelamente à execução, é crucial monitorar o progresso do projeto e compará-lo com o plano original. Isso envolve o controle de cronogramas, custos, qualidade e riscos, fazendo ajustes conforme necessário.

Leia também: 5 ferramentas para a matriz de priorização de projetos

Quais são as etapas de execução de projetos?

A fase de execução de projetos é uma parte crítica do ciclo de vida, onde as ideias e planos se transformam em ações. A seguir, confira as principais etapas:

1. Início da execução

Esta etapa marca o começo efetivo do trabalho e execução de projetos. Aqui, o plano de ação do projeto é colocado em prática. Por exemplo, se o projeto é a construção de um edifício, esta fase envolveria a preparação do terreno e o início das fundações.

plano de ação

2. Gestão de equipe

Neste ponto, o foco é montar e gerenciar a equipe do projeto. Isso inclui atribuir tarefas, definir responsabilidades e garantir a comunicação eficaz entre os membros. Por exemplo, em um projeto de software, diferentes desenvolvedores podem ser designados para trabalhar em diferentes módulos do aplicativo.

Esta etapa costuma ser bastante subestimada, mas, quando a comunicação é falha, a gestão de equipe se torna um verdadeiro problema. Por isso, algumas ferramentas, como a Matriz RACI são aplicadas para garantir que as atribuições de tarefas estejam claras para todos.

3. Implementação de tarefas e atividades

Aqui, as tarefas planejadas são executadas. Isso envolve seguir o cronograma de execução de projetos e garantir que cada atividade seja concluída conforme o esperado. Por exemplo, em um projeto de marketing, isso pode incluir a execução de campanhas publicitárias e a análise de seu impacto no mercado.

4. Comunicação e relacionamento com stakeholders

Manter uma comunicação clara e constante com todas as partes interessadas é vital. Isso pode envolver atualizar os clientes sobre o progresso ou discutir mudanças com fornecedores.

Por exemplo, em um projeto de TI, isso pode significar realizar reuniões regulares com o cliente para revisar o desenvolvimento do software.

5. Controle e monitoramento

Esta etapa da execução de projetos envolve o acompanhamento do progresso do projeto e a realização de ajustes conforme necessário. Por exemplo, se um projeto está atrasado, pode ser necessário realocar recursos ou priorizar certas tarefas para voltar aos trilhos.

6. Gestão de qualidade

Aqui, o foco é garantir que as entregas do projeto atendam aos padrões de qualidade. Isso pode envolver testes regulares ou revisões de qualidade. Por exemplo, em um projeto de construção, inspeções regulares podem ser realizadas para garantir que a construção atenda aos códigos de segurança.

7. Gestão de riscos

Identificar e gerenciar riscos é crucial. Isso pode incluir a mitigação de problemas potenciais antes que eles afetem o projeto. Por exemplo, em um projeto de evento, isso pode significar ter planos de backup para mau tempo ou cancelamentos de fornecedores.

8. Documentação

Manter registros precisos de todas as fases de execução de projetos é essencial. Isso ajuda a rastrear o progresso e fornece um registro para referência futura. Por exemplo, em projetos de engenharia, manter registros detalhados de desenhos e especificações técnicas é fundamental.

9. Feedback e ajustes

Coletar feedback e fazer ajustes é uma parte contínua da execução de projetos. Isso ajuda a melhorar processos e abordagens. Por exemplo, em um projeto de desenvolvimento de produto, o feedback do cliente pode levar a ajustes no design do produto.

10. Preparação para as próximas fases

Finalmente, esta etapa envolve preparar o projeto para sua conclusão ou para a transição para a próxima fase. Isso pode incluir a finalização de entregas ou a preparação de relatórios finais. Por exemplo, em um projeto de pesquisa, isso pode significar compilar os resultados e preparar publicações.

Principais metodologias na gestão de projetos?

Na gestão e execução de projetos, diversas metodologias são utilizadas para estruturar, planejar e controlar o processo de execução de um projeto. Cada uma delas tem suas características, vantagens e desvantagens, e a escolha depende do tipo de projeto, da cultura da organização e das necessidades específicas

A seguir, confira algumas dessas metodologias:

Metodologia Ágil

A Metodologia Ágil é uma abordagem flexível e adaptativa, ideal para projetos que exigem velocidade e flexibilidade. Diferente das metodologias tradicionais, o Ágil foca em entregas iterativas e incrementais, permitindo ajustes frequentes com base no feedback do cliente ou do mercado.

Exemplos populares incluem Scrum, que divide o projeto em ciclos curtos chamados ‘Sprints’ para revisão e adaptação constantes, e Kanban, que utiliza um sistema de quadros visuais para gerenciar o fluxo de trabalho, mas falarei deles a seguir.

O Ágil é particularmente eficaz em ambientes dinâmicos como o desenvolvimento de software, onde os requisitos podem mudar rapidamente.

Waterfall (Cascata)

O modelo Waterfall é uma abordagem linear e sequencial, onde cada fase do projeto (concepção, iniciação, análise, design, construção, teste, implementação e manutenção) é completada antes de iniciar a próxima.

Esta metodologia é mais adequada para projetos com requisitos bem definidos e pouco propensos a mudanças. É comumente usado em projetos de construção e manufatura, onde uma estrutura clara e uma sequência definida são cruciais para o sucesso.

PRINCE2 (Projects IN Controlled Environments)

PRINCE2 é uma metodologia estruturada, enfatizando a divisão do projeto em fases gerenciáveis e controláveis. É conhecida por sua abordagem de processo orientado e por seu foco em justificativa de negócios.

PRINCE2 é amplamente adotado em governos e organizações internacionais, oferecendo um framework detalhado que abrange desde a justificativa e planejamento até a sua execução de projetos e encerramento.

Lean

Originário do sistema de produção da Toyota, o Lean foca na criação de valor para o cliente com o mínimo de desperdício. Esta metodologia é aplicada não apenas na manufatura, mas em qualquer processo de negócio que busque eficiência.

Além disso, o Lean utiliza princípios como “produzir somente o necessário”, “eliminar desperdícios” e “melhoria contínua”, buscando otimizar processos, reduzir custos e melhorar a qualidade.

Six Sigma

O Six Sigma é uma metodologia focada na melhoria da qualidade, identificando e eliminando as causas de defeitos e variabilidade nos processos de negócios. Utiliza um conjunto de técnicas e ferramentas estatísticas para a melhoria de processos, sendo famoso pelo seu framework DMAIC (Definir, Medir, Analisar, Melhorar, Controlar).

É aplicável em diversos setores, visando a excelência operacional e a satisfação do cliente.

banner ciclo dmaic

PMBOK (Project Management Body of Knowledge)

O PMBOK, desenvolvido pelo Project Management Institute (PMI), não é uma metodologia em si, mas um conjunto de práticas padrão para a gestão e execução de projetos.

Ele oferece diretrizes sobre como gerenciar aspectos como escopo, tempo, custo, qualidade, recursos humanos, comunicações, riscos e aquisições de projetos. O PMBOK é considerado um guia versátil, aplicável a uma ampla gama de projetos.

Método de Caminho Crítico (Critical Path Method – CPM)

O Método de Caminho Crítico é uma técnica de planejamento e gerenciamento que enfatiza as tarefas críticas da execução de projetos. Ele identifica a sequência de atividades dependentes com a maior duração, determinando o caminho mais longo até a conclusão do projeto.

Essa abordagem é útil em projetos complexos, especialmente na construção civil e em projetos de engenharia, onde a identificação de gargalos é crucial para o cumprimento dos prazos.

Scrum

Por fim, o Scrum é uma metodologia ágil que se destaca pela sua simplicidade e eficácia em gerenciar projetos complexos. Ela divide o projeto em ciclos curtos chamados Sprints, tipicamente de duas a quatro semanas, durante os quais um conjunto de funcionalidades é desenvolvido e entregue.

Scrum é altamente colaborativo, enfatizando a auto-organização da equipe, revisões regulares do progresso e adaptações frequentes. Embora tenha suas raízes no desenvolvimento de software, o Scrum tem sido adaptado para outros tipos de projetos que se beneficiam de uma abordagem iterativa e incremental.

Quais são os desafios comuns na execução de projetos?

Na execução de projetos, diversos desafios podem surgir, impactando o sucesso e a eficiência do projeto. Confira a seguir, alguns deles e como você pode fazer para superá-los:

1- Escopo mal definido ou mudanças de escopo

Um dos desafios mais comuns na execução de projetos é lidar com um escopo mal definido ou com mudanças frequentes no escopo. Isso pode causar atrasos e aumentar os custos. 

Para enfrentar esse desafio, é essencial definir claramente o escopo no início e estabelecer um processo formal para gerenciar mudanças. Manter uma comunicação clara com os stakeholders é crucial para gerenciar expectativas e assegurar que todas as alterações sejam aprovadas de forma adequada.

2- Gerenciamento de recursos insuficiente

A alocação inadequada de recursos pode prejudicar a execução do projeto. Planejar cuidadosamente a alocação de recursos e monitorar seu uso é fundamental. Ferramentas de gerenciamento de projetos podem ser úteis para otimizar a distribuição de recursos e fazer ajustes conforme necessário.

3- Falta de flexibilidade

A rigidez nos processos pode impedir a adaptação a mudanças e oportunidades. Adotar uma abordagem mais flexível, como a metodologia ágil, permite ajustes rápidos e eficientes. Estar aberto a mudanças e inovações pode beneficiar significativamente o projeto.

4- Falha no cumprimento de prazos

Atrasos são comuns, mas podem ter consequências significativas. Estabelecer um cronograma realista, monitorar o progresso regularmente e identificar e resolver rapidamente quaisquer problemas que possam causar atrasos são práticas essenciais para manter o projeto no prazo.

5- Falta de comunicação eficaz

A comunicação ineficaz pode levar a mal-entendidos, erros e atrasos. Para superar isso, é importante estabelecer canais de comunicação eficientes, realizar reuniões regulares de acompanhamento e garantir que todos os envolvidos estejam atualizados sobre o progresso e quaisquer problemas.

Próximos passos

Quer saber como superar todos esses desafios e outros mais na sua execução de projetos? Então conheça o STRATWs One!

Com o STRATWs One, é possível fazer uma gestão de projetos alinhada com a estratégia da empresa, conectando-os com objetivos estratégicos do Balanced Scorecard (BSC). Além disso, o software oferece uma visualização intuitiva de todo o portfólio de projetos, ideal para dar clareza à alta gestão.

No sistema também é possível vincular um projeto a indicadores e, caso não esteja indo como o esperado, o software possibilita a criação de um plano de ação. O STRATWs One também oferece uma clareza dos responsáveis, em painéis intuitivos com timelines de marcos de entrega, cronogramas e muito mais!

Solicite uma demonstração agora mesmo e confira!

stratws one