Gestão Estratégica

O Papel da Tecnologia da Informação na Execução da Estratégia das Empresas – Parte 3

O Papel da Tecnologia da Informação na Execução da Estratégia das Empresas – Parte 3

Publicação : 14/07/2015

Por Siteware

3 min

Como a Tecnologia da Informação pode se tornar protagonista na execução da estratégia, contribuindo para a melhoria dos resultados e o aumento da governança das organizações?

Nesta série de postagens, tento passar um pouco da minha experiência nestes mais de 20 anos trabalhando para a união de dois mundos corporativos que são complementares, a Gestão e a TI. Na última semana apresentei o conceito do Motor Estratégico, que, se implementado corretamente, é capaz de fazer o planejamento estratégico da sua empresa acontecer. Desta vez irei apresentar o próximo componente deste motor.

O que separa a Meta dos seus Resultados?

A imagem abaixo ilustra o palco do Teatro do Palácio das Artes durante o CEO Fórum 2015, promovido pela Amcham em março deste ano na cidade de Belo Horizonte. Quem se apresentava para a platéia era o Prof. Ram Charan e todos foram surpreendidos quando a imagem foi deslocada desvendendo assim a resposta: A “Execução” é o que separa os resultados atuais das metas almejadas. A “Execução” e somente ela, é capaz de nos levar da situação presente ao resultado traçado pelo plano estratégico da empresa.

Execução

A surpresa da platéia se deu ao perceber que a resposta era simples e que a tecnologia utilizada pelo Professor era ainda mais simples: um retroprojetor com uma transparência. Acho que tinha uns 20 anos que não via um aparelho daqueles!

O novo componente do Motor Estratégico: a Execução

A Execução passa, assim, a ser o nosso segundo componente no Motor Estratégico que pode ser visto na imagem abaixo.

EXECUÇÃO

É consenso que a maioria dos planos estratégicos falha por má execução. Boa parte dos especialistas, hoje em dia, já admite que é melhor um plano medíocre bem executado do que um ótimo plano que jamais saiu do papel. O que poderíamos fazer então, em nosso motor, para garantir a execução da estratégia?

Este é o assunto que abordaremos no próximo post desta série. Até lá…

Leia também os outros textos dessa série:

Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6 | Parte 7 | Parte 8 | Parte 9