Qualidade

Entenda a importância da inteligência emocional para o seu sucesso

Entenda a importância da inteligência emocional para o seu sucesso

Publicação : 21/02/2017

Por Siteware

9 min

Para quem almeja crescer na carreira e ter sucesso em cargos de liderança, mais do que experiência e boa formação acadêmica, a importância da inteligência emocional deve ser levada em conta e usada para engajar colegas e obter melhores resultados, por meio do trabalho em equipe.

A inteligência emocional no trabalho é uma qualidade cada vez mais valorizada pelas empresas.

Mas você sabe o que é inteligência emocional?

O conceito de inteligência emocional define esse conjunto de habilidades e foi citado pela primeira vez em 1990 por pesquisadores do campo da psicologia, em um estudo que rejeita a ideia de que as emoções seriam um obstáculo para certas áreas da vida de uma pessoa, como a profissional.

Ou seja: elas são fundamentais para o sucesso no ambiente de trabalho.

Você sabe por quê? Confira as respostas no artigo que preparamos e descubra como desenvolver e usar essas habilidades em seu favor!

A importância da inteligência emocional para o sucesso profissional

O que é inteligência emocional: mais detalhes

Segundo o pesquisador Peter Salovey, que criou o termo com John D. Mayer — trazendo uma abordagem mais atualizada em 2004 (dessa vez em parceria com David R. Caruso) —, ela consiste em 4 habilidades relacionadas ao uso das emoções:

  • Percepção acurada das próprias emoções e das pessoas com quem interagimos;
  • Uso delas como fonte de informação para pensar e agir de maneira racional;
  • Compreensão das emoções;
  • Gerenciamento delas e de outras pessoas ao nosso redor.

Em suma, a importância da inteligência emocional está em ajudar uma pessoa a ser mais criativa e a estabelecer melhores abordagens para lidar com conflitos e diversas situações, comportando-se de maneira racional e influenciando outras pessoas para resolver de maneira construtiva os problemas do dia a dia.

Como essa competência ajuda no ambiente de trabalho?

Com a popularização do conceito, o mundo do trabalho passou a ver com bons olhos os profissionais que possuem essa capacidade, que ganhou maior visibilidade com a sistematização do psicólogo e jornalista Daniel Goleman.

Para ele, uma pessoa emocionalmente inteligente possui autoconhecimento, autocontrole, automotivação, empatia e habilidades sociais.

Apesar de não terem tanto impacto em ocupações nas quais o indivíduo trabalha sozinho, para ambientes de trabalho que exigem interagir e trabalhar com outras pessoas, essas ferramentas são um acréscimo que não só melhora a cooperação entre colegas, como também reduz o estresse e minimiza conflitos.

Especialmente úteis para quem ocupa cargos de liderança, como gerentes e supervisores, essas características permitem construir um ambiente onde todos se sintam relevantes e motivados, o que promove maior produtividade, satisfação e melhores resultados, como diversas pesquisas indicam.

Confira, agora, do que se trata e como desenvolver essas competências!

Autoconhecimento

Líderes que possuem autoconhecimento são plenamente conscientes sobre o que sentem e como essas emoções afetam suas ações, seu comportamento e as pessoas com quem interagem.

Dessa forma, esses líderes são menos propensos a se influenciarem pelo que estão sentindo, principalmente em situações que resultam na alteração do estado emocional.

Além disso, conhecer a si mesmo assegura uma noção clara e objetiva sobre forças e fraquezas, o que permite trabalhar para evoluir de acordo com as suas necessidades e agir com humildade, assumindo a responsabilidade pelos próprios erros.

Isso ajuda a tornar o ambiente de trabalho mais harmonioso, à medida que sua credibilidade aumenta e resulta em um melhor relacionamento com colegas.

Autocontrole

Como destacamos no tópico anterior, com o autoconhecimento é possível se manter vigilante e perceber quando uma emoção vem à tona em resposta a alguma ação ou circunstância.

Aliado a essa capacidade, o autocontrole faz com que você evite qualquer comportamento impulsivo em situações do tipo.

Ou seja: em vez de se deixar influenciar pela raiva ou frustração, a reflexão se torna sempre a melhor atitude para avaliar o que aconteceu, de maneira equilibrada, e reagir positivamente, encontrando a melhor solução para um problema.

Isso é fundamental para quem não pode se dar ao luxo de tomar atitudes precipitadas e comprometer sua capacidade de ocupar cargos que exigem integridade e responsabilidade na tomada de decisões.

Automotivação

Ao contrário de pessoas que têm trabalhos e resultados movidos por fatores externos, como promoções ou maiores salários, aquelas que possuem automotivação encontram dentro de si razões que as fazem mobilizar energias e esforços para manterem-se focadas e produtivas.

Em outras palavras, elas usam as próprias emoções em seu favor para atingir objetivos, encontrando prazer a cada realização. Isso faz com que as performances sejam capazes de produzir resultados acima das expectativas, influenciando positivamente também o desempenho de colegas de trabalho.

Entre as qualidades que os automotivados possuem, estão: comprometimento com pessoas e metas de uma organização; iniciativa; otimismo; desejo de evoluir e atração por desafios.

Mesmo quando os obstáculos se tornam mais complicados, essas pessoas não se intimidam, pois conhecem suas próprias forças (e limitações) e trabalham para ter performances à altura do que lhes é exigido.

Empatia

Quando você possui empatia, sua capacidade de comunicação se torna muito mais efetiva. Essa é uma habilidade que permite colocar-se no lugar de uma pessoa e enxergar diferentes situações por meio da perspectiva que ela possui, para entendê-la melhor.

Isso inclui prestar atenção à postura que você assume nessas interações, cuidando para não demonstrar desinteresse e captando como alguém se sente através daquilo que é falado ou explicitado em sinais não verbais.

Como consequência, o esforço em entender e sentir as emoções dos seus colegas permite responder de maneira apropriada para que eles se sintam melhor, com feedbacks construtivos e personalizados ou incentivos para ajudar no desenvolvimento de cada um, o que é fundamental para conquistar respeito e lealdade.

Habilidades sociais

Por fim, após desenvolver uma compreensão melhor das próprias emoções por meio da autoconfiança, do autocontrole e da automotivação, assim como a capacidade de entender o que o outro sente (com a empatia), as habilidades sociais consistem em saber articular todas essas competências.

Essa última característica é a que deixa mais clara a importância da inteligência emocional na empresa, porque permite gerenciar e influenciar as próprias emoções e as de outras pessoas, de maneira efetiva, nas mais diversas situações.

Algumas dessas habilidades são:

  • Persuasão;
  • Colaboração;
  • Comunicação;
  • Liderança;
  • Capacidade de resolver conflitos de maneira diplomática;
  • Lidar com mudanças e ser capaz de adaptar-se às dificuldades.

Gostou do artigo? Ficou clara a importância da inteligência emocional nas empresas? Agora que você já sabe quais são as habilidades necessárias para desenvolvê-la, confira também como liderar sua equipe para uma alta produtividade!