Liderança

Veja quais são os tipos de liderança existentes nas empresas

Veja quais são os tipos de liderança existentes nas empresas

Publicação : 11/11/2016

Por Siteware

10 min

tipo de liderança
tipo de liderança

(Clique no play para ouvir a narração do nosso artigo sobre tipos de liderança. Deixe para a gente o que você achou nos comentários!)


Identificas quais são os tipos de liderança é alvo de estudos há décadas. Uma das primeiras teorias a serem criadas para explicar o comportamento dos líderes nas empresas foi a Teoria dos Traços, em vigor até a década de 40.

Ela acreditava que líderes já nasciam líderes e podiam ser identificados por meio de uma personalidade forte e sociável, habilidades intelectuais e, até mesmo, por aspectos físicos, como força e “boa aparência”.

Apesar da sua popularidade, essa teoria se mostrou fraca para identificar quais são os tipos de liderança e se desatualizou diante da evolução do mercado.

Para especialistas, a liderança pode ser adquirida por meio de hábitos e treinamento. Logo, o que define um verdadeiro líder e quais são os tipos de liderança não são características vindas do nascimento, mas seu comportamento diante do mundo e das pessoas.

Essa mudança de pensamento abriu um leque de possibilidades, modelos de geração de líderes e novos tipos de liderança, que apresentaremos a seguir. Confira!

Quais são os tipos de liderança?

Da liderança democrática à praticada nas empresas autocráticas, selecionamos quais são os tipos de líderes principais, para que você possa se identificar entre eles e descobrir também qual a diferença entre um líder e um chefe.

Os diferentes tipos de líderes

7 tipos de liderança

Atualmente, os tipos de liderança mais comuns são a democrática, a liberal e a autocrática, baseadas na Teoria dos Estilos de Decisão dos Líderes. No entanto, elas não são as únicas que vigoram no mercado de trabalho.

Em uma empresa, já é possível encontrar líderes que agem como verdadeiros pais, outros que se destacam pelo conhecimento técnico e assim por diante. Para melhorar a sua performance, todo gestor precisa saber se ele se encaixa em uma:

Liderança autocrática

A liderança autocrática é baseada na centralização total da autoridade, na qual o líder foca todas as decisões apenas em si mesmo. Seu cargo vira um instrumento de coerção dos liderados, que trabalham apenas por medo de uma punição ou de uma demissão.

Em uma autocracia, as pessoas não possuem importância, apenas a execução de tarefas e a busca de resultados. Esse modelo ainda é comum nas empresas, mas diante das mudanças do mercado, com profissionais em busca de realização e crescimento profissional, ele tem se mostrado insatisfatória e já não garante a retenção de talentos ou a produtividade.

Liderança liberal

O que é um líder liberal? Ora, na liderança liberal, o líder mostra total confiança na sua equipe. Em sua gestão dá aos seus colaboradores toda a liberdade para tomar decisões importantes e a sua participação no curso dos acontecimentos é quase nula, o que impede a equipe de seguir os exemplos de um líder liberal.

Essa atitude acarreta uma série de problemas. Delegar todas as tarefas e responsabilidades para uma equipe sem qualquer supervisão ou orientação, diante de situações de crise, pode prejudicar diretamente o desempenho e os resultados da empresa.

Em muitos casos, colaboradores que trabalham sob a liderança liberal se sentem perdidos na execução das suas atividades, não conseguem se desenvolver profissionalmente e podem perder o senso de autoridade e respeito pelo seu líder.

Liderança democrática

Na liderança democrática “equilíbrio” é a palavra de ordem. Esse modelo permite que cada colaborador tenha liberdade para tomar decisões e compartilhar as suas ideias, mas sem assumir todo o controle da empresa.

O líder democrático interage igualmente com a sua equipe, promove a capacitação e facilita o trabalho dos liderados. Sua posição é de aconselhar cada membro quando necessário, reconhecendo os méritos e criando um espaço aberto para debate.

Diante do atual cenário do mercado de trabalho, formado pelos profissionais da Geração Y, esse tipo de liderança tem se mostrado muito efetiva. Sua estratégia impulsiona a busca por resultados individuais e aprendizado, sem comprometer a produtividade e o senso de responsabilidade profissional.

Liderança motivadora

A liderança motivadora se baseia no estímulo e no otimismo. Líderes que seguem esse modelo não se abatem diante das situações de crise, animam quem está ao seu redor e conseguem controlar facilmente o que não está dando certo.

Nesse tipo de liderança, a equipe encontra um ambiente saudável para expor suas ideias e tomar decisões, pois confiam na sua própria capacidade e são motivados por um gestor perspicaz, que acredita e reconhece o trabalho desenvolvido e consegue assumir as rédeas diante dos problemas.

Liderança paternalista

Na liderança paternalista, o líder assume o papel de pai. A relação interpessoal com os seus colaboradores costuma ser muito forte, mas essa liderança pode assumir um comportamento ambíguo muito perigoso para a empresa. Um líder paternal pode ter uma postura extremamente permissiva, como acontece no exemplo liberal, ou muito rigorosa, como na autocrática.

Essa falta de equilíbrio pode comprometer o profissionalismo necessário na relação com a equipe ou criar um forte senso de domínio, que afeta a liberdade e a autoconfiança desses colaboradores.

Liderança técnica

A liderança técnica possui uma forte influência na performance da empresa, graças ao alto conhecimento e capacidade analítica dos líderes que atuam sob a sua influência. Seu alto rendimento é alvo de confiança tanto dos superiores, como dos colaboradores, que sabem que contam com uma figura relevante para executar processos de maneira bem-sucedida e alcançar os resultados almejados.

Liderança carismática

A liderança carismática é uma das mais fáceis de reconhecer. Esses líderes conseguem trazer leveza ao ambiente de trabalho, conquistar o apreço dos colaboradores e gerir a equipe com bom humor e igualdade — desde os membros do alto escalão até quem atua em um cargo hierárquico mais baixo.

Sua influência acontece por meio do exemplo. Dificilmente, precisa usar o seu poder para fazer com que demandas sejam cumpridas e suas decisões sejam respeitadas. Seu perfil permite que os colaboradores trabalhem com mais entusiasmo, mas o líder precisa buscar o ponto ideal para não assumir uma postura muito permissiva — comum à liderança liberal.

A liderança ideal

Descobrir quais são os tipos de liderança ideais para deixar colaboradores satisfeitos e tornar uma empresa bem-sucedida é o sonho de dez entre cada dez líderes. No entanto, a verdade é que não existe uma fórmula para isso.

Todos os tipos de liderança apresentam benefícios e problemas, de acordo com as situações, pessoas envolvidas e demandas da empresa.

Diante de uma equipe inexperiente, por exemplo, abrir mão do comando ou das responsabilidades pode comprometer todo o desempenho da empresa. Já em um local que preza por inovação e criatividade, focar apenas na liderança técnica pode gerar estagnação.

Cabe ao líder entender as aspirações, competências e necessidades dos seus colaboradores, sem abrir mão dos interesses da organização que representa. Não é preciso assumir um perfil democrático, motivador ou autocrático o tempo todo.

A liderança ideal é formada pela união de características de todas elas, de acordo com as situações e benefícios que elas podem trazer para a empresa. O mais importante é que o líder aja com sensibilidade e autenticidade.

Quais são os tipos de liderança que você considera mais adequados? E você, se reconheceu em algum desses tipos de liderança? Gostou das nossas dicas? Então, não deixe de compartilhá-las nas suas redes sociais!