Processos

Como fazer o mapeamento de processos empresariais? Descubra a partir de um roteiro com 7 passos descomplicados

Como fazer o mapeamento de processos empresariais? Descubra a partir de um roteiro com 7 passos descomplicados

Publicação : 03/07/2021

Por Tayrane Corrêa

8 min

Como fazer o mapeamento de processos
Como fazer o mapeamento de processos

Mapeamento de processos: por onde começar?

Essa é uma dúvida muito comum entre gestores e empreendedores que desejam compreender melhor as nuances de seus processos internos e também de seus projetos.

Por meio de um eficaz roteiro para mapear processos, é possível identificar oportunidades de melhorias que vão ajudar a promover uma gestão mais qualificada.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para explicar o que é e como fazer o mapeamento de processos.

Continue a leitura e confira ao longo deste artigo um passo a passo para você mapear os processos da sua empresa e torná-los mais eficientes, em 7 passos práticos e objetivos:

  1. Determine qual o processo você quer mapear;
  2. Identifique quem são os fornecedores do processo;
  3. Aponte as entradas do processo;
  4. Identifique os elementos do processo;
  5. Aponte as saídas do processo;
  6. Identifique quais são os clientes do processo;
  7. Documente o processo.

Processo ou projeto, você sabe a diferença?

Este vídeo vai ajudar você a entender melhor esses 2 conceitos:

O que é um mapeamento de processos?

No contexto corporativo, o mapeamento de processos é uma prática que consiste em identificar as etapas e o fluxo de trabalho de determinado processo de uma empresa.

O mapeamento aponta os elementos e a sequência de atividades que compõem os processos, descrevendo as entradas e as saídas e as pessoas envolvidas.

Leia também: Guia completo sobre melhoria contínua: conceito, objetivo, vantagens, tipos, principais ferramentas, como implementar e exemplos para se inspirar

Qual é o objetivo do mapeamento de processos?

O mapeamento tem como objetivo permitir um maior entendimento sobre o funcionamento dos processos de ponta a ponta.

A intenção dessa prática é possibilitar uma compreensão mais clara e objetiva sobre as etapas dos processos e suas nuances, identificando os pontos fortes, as limitações e as fragilidades que precisam ser corrigidas.

Com o mapeamento de processos, consegue-se promover a melhoria contínua e uma gestão mais eficiente dos processos organizacionais.

Leia mais: Entenda como o Kaizen de melhoria contínua pode ajudar a gestão dos processos organizacionais

O que é mapeamento do processo de projeto?

O mapeamento também pode ser aplicado aos projetos da empresa. Essa prática consiste em identificar o fluxo de tarefas de determinado projeto, bem como os responsáveis por cada etapa.

O mapa de projetos mostra todo o caminho que vai desde o início até a conclusão do projeto. Dessa forma, busca-se organizar as atividades, definir prioridades e estabelecer prazos mais razoáveis.

Além disso, mapear um projeto possibilita alinhar melhor as expectativas e ter maior controle sobre a evolução do projeto.

Veja também: Gestão operacional: tudo o que você precisa saber para conduzir melhor os processos operacionais da sua empresa

Roteiro para mapear processos: como descrever processos? 

Mapeamento de processos: por onde começar?

Agora que você já sabe o que significa mapear um processo, é hora de descobrir como fazer o mapeamento de processos na prática.

De fato, cada setor da sua empresa possui suas especificidades. No entanto, separamos um roteiro para mapear processos que pode ser aplicado em qualquer área.

Confira abaixo quais são as principais etapas:

1 – Determine qual o processo você quer mapear

O primeiro passo de como fazer o mapeamento de processos consiste em determinar qual processo do seu negócio você deseja mapear.

2 – Identifique quem são os fornecedores do processo

Os fornecedores são aqueles que geram os inputs do processo; ou seja, as entradas.

Os fornecedores do processo são os responsáveis por darem início a uma demanda, podendo ser internos ou externos.

3 – Aponte as entradas do processo

Também chamadas de “inputs”, as entradas se referem ao momento em que uma demanda é gerada; ou seja, o início do processo.

4 – Identifique os elementos do processo

Nessa etapa de como fazer o mapeamento de processos, você precisa identificar quais são os elementos que compõem o processo em questão: quais as tarefas que serão realizadas? Por quem?

5 – Aponte as saídas do processo

As saídas são os produtos do processo. Elas se referem às entregas de cada processo.

6 – Identifique quem são os clientes do processo

Os clientes são as pessoas que estão na ponta final do processo e que receberão as saídas produzidas.

7 – Documente o processo

Por fim, neste último passo de como fazer o mapeamento de processos, você precisa documentar todas as etapas, atividades, responsáveis, handoffs, entradas, saídas, clientes e fornecedores.

Na hora de fazer a descrição, você pode usar um formulário para mapeamento de processos, deixando claras todas as orientações para efetuar as melhorias e correções necessárias.

Veja mais: Explore o diagrama tartaruga para melhorar a sua gestão de processos

Uma excelente ferramenta que ajuda a encontrar possibilidades de melhoria em um processo é a FMEA. Você conhece? Então, confira agora:

Bom, conseguiu entender como fazer o mapeamento e processos?

Siga os passos que citamos aqui e promova uma gestão mais eficaz sobre os processos da sua empresa, gerando mais produtividade, eficiência e competitividade para o seu negócio.

Usar KPIs depois de mapear seus processos, para verificar as melhorias necessárias, é fundamental para a gestão de um negócio.

O STRATWs One é um software de gestão de performance corporativa que faz isso e muito mais por sua empresa, confira outras vantagens:

  • Fazer a gestão de reuniões e do portfólio de projetos;
  • Aumentar a produtividade;
  • Gerenciar riscos e analisar cenários;
  • Empregar as principais metodologias de planejamento estratégico como BSC, OKR e SWOT;
  • Integrar pessoas, operação e estratégia;
  • Encontrar oportunidades de melhoria;
  • Compartilhar informações com agilidade e transparência;
  • Usar a meritocracia e a gestão à vista para motivar e gerenciar equipes;
  • Facilitar a troca de informação e a comunicação entre departamentos
  • Compartilhar KPIs com agilidade e transparência;
  • Potencializar a governança corporativa;
  • Focar na busca dos resultados que sua empresa procura alcançar.

Confira uma case real de sucesso do uso do STRATWs One: CASE: Como a Siteware ajudou a Dotz a melhorar seus processos de Recursos Humanos?

Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *