Gestão Estratégica

Gestão de riscos financeiros: 7 passos para evitar prejuízos e alcançar melhores resultados

Gestão de riscos financeiros: 7 passos para evitar prejuízos e alcançar melhores resultados

Publicação : 27/08/2019

Por Siteware Siteware

12 min

Como anda a gestão de riscos financeiros na sua empresa?

Esse é um aspecto que merece atenção especial. Dos vários tipos de riscos que o seu negócio pode enfrentar, o financeiro é o que tem impacto mais imediato em seus fluxos de caixa e resultados. 

Esse tipo de gerenciamento consiste em identificar e compreender os riscos que seu negócio pode estar enfrentando agora ou no futuro em relação às finanças.

Não se trata de eliminar riscos, mas sim saber quais deles você está disposto a assumir, quais você prefere evitar e como desenvolver uma estratégia baseada na sua tolerância ao risco.

Basicamente, uma empresa utilizará o gerenciamento de risco financeiro para prever e analisar esses riscos. Assim, poderá identificar os procedimentos ou ações que devem ser implementados para evitá-los ou minimizar seu impacto.

Neste artigo você vai conferir um passo a passo de como fazer uma eficiente gestão de riscos financeiros para que o seu negócio prospere.

Leia também: O que é gerenciamento de risco e como implementar em sua empresa

7 passos para uma boa gestão de riscos financeiros

Antes de iniciar o processo de gerenciamento de risco financeiro, deve haver um entendimento claro das metas e objetivos da organização. Afinal, eles ditarão os rumos de todo o empreendimento.

Passo 1 – Identifique e priorize os riscos financeiros que se aplicam ao negócio

O gerenciamento começa identificando os riscos financeiros e suas fontes ou causas.

Primeiro, vamos dar uma olhada nos tipos mais comuns de riscos financeiros aos quais as empresas estão expostas.

Risco de crédito

Também conhecido como risco de inadimplência, decorre da incapacidade de uma parte de pagar ou cumprir suas obrigações com outra, de tal forma que ela estará inadimplente.

Se uma empresa não conseguir os recebíveis de clientes, eles terão um fluxo de caixa baixo e uma renda perdida.

Risco de mercado

Surge de um declínio no mercado, resultando posteriormente em valor reduzido ou perdido de investimentos.

Se os ativos da empresa diminuírem de valor, mas tudo o mais permanecer o mesmo, o patrimônio líquido da empresa também cairá.

Risco de liquidez

Surge quando os ativos ou títulos da empresa não podem ser imediatamente convertidos em dinheiro quando necessário.

Assim, isso resulta em risco de inadimplência para o negócio, tais como fazer pagamentos de empréstimos aos credores e pagamentos de dividendos para os proprietários e investidores.

Risco operacional

Surge de problemas na condução das operações diárias do negócio, como avarias de máquinas, falhas processuais e erros causados pelos colaboradores.

Os erros cometidos podem resultar em perdas financeiras consideráveis.

Risco de taxa de juros

Surge de mudanças drásticas nas taxas de juros, particularmente as quedas súbitas que levam a perdas financeiras.

Isso geralmente é um desdobramento do risco de mercado, uma vez que as taxas de juros são diretamente afetadas pelos movimentos da economia.

Risco cambial

Decorrente de movimentos em mercados estrangeiros. Afinal, as taxas de câmbio das moedas estrangeiras terão definitivamente um impacto sobre os ganhos de um negócio com operações estrangeiras, seja de importação ou exportação, por exemplo.

A identificação dos tipos de riscos financeiros tornará mais fácil para a empresa fazer uma avaliação detalhada e uma análise dos riscos específicos que está enfrentando.

Perguntas a serem feitas neste primeiro passo incluem:

  • Quais são as principais fontes de receita do negócio?
  • Para quais clientes a empresa concede crédito?
  • Quais são as condições de crédito para esses clientes?
  • Que tipo de dívida a empresa possui? Curto ou longo prazo?
  • O que aconteceria se as taxas de juros subissem?

Depois de identificar os riscos financeiros específicos que são aplicáveis ​​ao seu negócio, é preciso classificá-los de acordo com a gravidade e seus efeitos potenciais.

Normalmente, o risco que representa as maiores ameaças são aqueles que provavelmente resultarão em maiores perdas financeiras (e até falência).

Você conhece a matriz de risco? Então, confira este modelo:

O atributo alt desta imagem está vazio
Fonte: Blog da Luz

Saiba como usá-la neste post de nosso blog: O que é Matriz de Risco: passo a passo para implementar essa ferramenta na sua organização

Passo 2 – Determine o nível de tolerância ao risco

Nesta segunda etapa para gestão de riscos financeiros, deve-se estabelecer um nível de exposição ao risco que a empresa esteja disposta a aceitar ou tolerar.

Definir esse nível fornecerá espaço para que gerentes e tomadores de decisão possam se concentrar na criação de valor. Assim, estarão sabendo se ainda estão operando dentro dos limites aceitáveis ​​em termos de risco.

Alguns dos fatores a serem considerados ao definir um limite de risco financeiro são:

  • Período durante o qual se espera que o risco financeiro ocorra;
  • Relação custo-benefício de determinada decisão;
  • Volatilidade do ambiente econômico e financeiro;
  • Níveis de confiança dos gerentes.

Veja mais: Como minimizar riscos e ter mais transparência? Use as melhores formas de gestão de riscos

Passo 3 – Formule estratégias para gerenciar os riscos

É nesta etapa que a empresa identificará as estratégias para gerenciar os riscos financeiros que está enfrentando.

A escolha de estratégias de mitigação depende em grande parte do risco específico que está sendo gerenciado e dos recursos disponíveis para implementá-las.

Resumidamente, vamos dar uma olhada em algumas das estratégias de mitigação de risco mais comumente usadas para transações financeiras, especificamente para os diferentes tipos de riscos financeiros.

Risco de crédito

  • Verificações completas de antecedentes do cliente antes de vender a crédito;
  • Estabelecer e impor políticas e termos de crédito e comunicá-los claramente aos clientes antes da venda.

Risco de mercado

  • Familiarização com o mercado para avaliar seu potencial e fazer previsões baseadas em padrões derivados de dados históricos;
  • Coleta ativa, atualização, análise e armazenamento de informações de mercado, como tendências de consumo e comportamento e presença de concorrentes;
  • Acompanhamento rigoroso dos movimentos no mercado para antecipar qualquer atividade que possa afetar potencialmente o aspecto financeiro da empresa.

Risco de liquidez

  • Acompanhamento rigoroso das entradas e saídas de dinheiro regularmente; 
  • Monitorar o pagamento dos clientes devedores para identificar as contas que já estão vencidas e tomar as providências necessárias para recolhê-las;
  • Envio de comunicados ou lembretes de cobrança aos clientes sobre seus valores devidos;
  • Manter um forte relacionamento com instituições financeiras, bancos e outros credores aos quais o negócio tem obrigações.

Risco operacional

  • Atribuição eficaz para garantir que as pessoas certas recebam a tarefa certo;
  • Treinamentos regulares;
  • Monitoramento rigoroso da execução ou implementação do orçamento, para garantir que a empresa não esteja gastando excessivamente ou subutilizando recursos.

Risco da taxa de juros

  • Utilização de uma taxa fixa ao investir ou emprestar, a fim de assegurar um montante fixo de rendimento de juros e evitar flutuações;

Risco cambial

  • Assumir ativamente uma posição de compra ou venda de moeda estrangeira e outras opções similares;
  • Manter uma conta em moeda estrangeira para correspondência adequada de receitas e despesas em transações feitas em moeda estrangeira;
  • Buscar assistência de bancos ou outros especialistas sobre como a empresa pode manter sua exposição em moeda estrangeira.

Passo 5 – Implemente as estratégias planejadas

As estratégias de mitigação de risco devem ser implementadas, mas de acordo com as políticas estabelecidas previamente. É aqui que os planos e estratégias são transformados em ações.

Passo 6 – Monitore, mensure e refine

As estratégias de mitigação de risco implementadas devem ser submetidas a um monitoramento rigoroso, a fim de acompanhar seu progresso e verificar se elas são eficazes ou não e se há necessidade de fazer ajustes.

Passo 7 – Comunique e relate os resultados do processo

Em cada etapa, a comunicação é muito importante. A alta gerência deve ser mantida em sintonia durante toda a condução do processo de gestão de riscos financeiros, especialmente porque eles são os únicos a tomar a decisão sobre quais estratégias de mitigação de riscos empregar e como proceder.

Permitir que outros membros da organização conheçam as iniciativas de gerenciamento de riscos da empresa também é altamente recomendado. Isso vai incentivar a confiança deles na empresa, além de motivá-los a trabalhar mais para atingir as metas da organização.

Ficou claro como fazer gestão de riscos financeiros? Então não perca mais tempo e coloque em prática tudo o que você aprendeu aqui.

Você sabe o que é compliance nas empresas? Então, confira este vídeo de nosso canal no YouTube:

Saiba mais: O que é Compliance nas empresas e qual sua função?

O STRATWs One é um software de gestão de performance corporativa que permite que você acompanhe todos os KPIs de seu negócio e fique atento a riscos.

Revolucione a gestão da sua empresa com o STRATWs One

Daniella DoyleJornalista e Publicitária de formação, está no mercado há mais de 15 anos com foco em gerar resultados para empresas B2B por meio de estratégias online e offline. Adora uma nova tendência e trabalhar com métricas e metas. É gerente de marketing na Siteware e, quando sobra um tempinho, aproveita para tricotar e pintar!

Ficar de olha nos riscos financeiros é importante. Mas você sabe como fazer o orçamento da empresa? Então, baixe nossa planilha gratuito: [PLANILHA COMPLETA] Orçamento Anual

Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *