O que é Matriz de Risco: passo a passo para implementar essa ferramenta na sua organização

CONTEÚDO

O que é Matriz de Risco

CONTEÚDO

(Clique no player para o ouvir a narração do nosso post sobre o que é a Matriz de Risco!)

Os erros acontecem em qualquer tipo de negócio, afinal, uma escolha ou decisão errada pode gerar diferentes impactos negativos. No entanto, o pior que pode acontecer para uma empresa é persistir nos erros, ou não implementar estratégias para evitá-los. Por isso é tão importante entender o que é Matriz de Risco.

Já conhecia esse termo? Bem, essa é uma das estratégias mais importantes na área de gestão de riscos. Isso porque ela é usada para prevenir que as organizações se deparem com problemas que poderiam ser mapeados antecipadamente.

Com o intuito de te ajudar, preparamos esse conteúdo completo para você entender o que é a Matriz de Risco na prática. Além disso, veja também os benefícios que tornam esse métodos um dos mais fundamentais para o sucesso de uma boa gestão nas empresas.

Veja mais: O que é gerenciamento de risco e como implementar em sua empresa

metodologias de gestão

O que é Matriz de Risco?

A Matriz de Risco é uma ferramenta de gerenciamento que permite ampliar a visibilidade de possíveis riscos. Nesse caso, com o objetivo de ajudar os gestores de um negócio no processo de tomada de decisões. Essa ferramenta também é conhecida como Matriz de Probabilidade e Impacto.

Assim, a Matriz de Riscos tem sido amplamente adotada por muitas empresas, por ser uma ferramenta prática e fácil de usar. Ela ajuda a maioria das organizações a promover discussões robustas, ter mais consistência na priorização das ações que podem gerar riscos e focar no que é prioridade de fato. Ela faz parte de um processo de gestão de riscos que deve ser implementado em qualquer grande empresa.

Dessa forma, o grande diferencial dessa metodologia é a possibilidade de ver os riscos apresentados em um gráfico de fácil interpretação.

Isso significa que, em resumo, a Matriz de Risco é usada ​​principalmente para determinar o “tamanho” de um risco. Além disso, se esse risco está ou não controlado.

É importante entender que existem duas dimensões consideradas nessa ferramenta: ela analisa quão grave e também quão provável é um evento indesejado. Essas duas dimensões criam a matriz gráfica, com o objetivo de classificar a probabilidade e o impacto de algum risco.

Dessa forma, após os riscos identificados, o gestor consegue criar medidas preventivas e desenvolver um planejamento estratégico para evitar que os riscos de fato aconteçam.

Confira na imagem:

que e matriz de risco 1 O que é Matriz de Risco: passo a passo para implementar essa ferramenta na sua organização
Fonte: Blog do Luz

Começando a criar sua Matriz de Risco

Entendendo o que é Matriz de Risco, fica claro a necessidade de utilizar a probabilidade e o impacto para definir a gravidade. Por isso, vamos colocar a mão na massa agora para construir a sua matriz.

9-box

E para começar a fazê-la, na prática, é preciso seguir dois passos.

1º Passo: descrever os níveis de probabilidade e gravidade

Para começar, é necessário entender o que determina se um determinado risco se caracteriza no nível alto, médio ou baixo, tanto de probabilidade quanto de gravidade.

Ter essa definição vai facilitar muito nas análises de risco futuras.

  • Probabilidade
    • Alta
      • Mais de 50% de chance de acontecer;
      • Ocorre frequentemente em circunstâncias semelhantes;
      • Ocorre várias vezes durante um projeto;
    • Média
      • 10% a 50% de chance de ocorrer;
      • Evento é conhecido por ocorrer, mas não com frequência;
    • Baixa
      • Menos de 10% de chance de ocorrer;
      • Evento improvável, não ocorreu em sua empresa, mas poderia acontecer;
      • Não estava mapeado, mas pode acontecer;
  • Gravidade
    • Alta
      • Os custos para conserto ou substituição consomem grande parte dos lucros mensais;
      • Grande chance de causar lesão grave ou incapacitante em algum colaborador;
      • Gera uma grande pausa na operação da empresa;
    • Média
      • Os custos para conserto ou substituição consomem boa parte dos lucros mensais;
      • Lesão que requer ajuda médica com ou sem perda de tempo no trabalho;
      • Perda de função de negócios por curto período;
    • Baixa
      • Custo baixo para conserto;
      • Nenhuma lesão ou ferimento menor que requer primeiros socorros;
      • Pequena pausa nos processos da empresa.

Existem matrizes de risco mais complexas. Elas incluem mais gradações de gravidade e probabilidade.

2º Passo: definir uma pontuação

Entendido o que é Matriz de Risco e realizada a descrição de cada nível, a próxima etapa na construção da sua Matriz é atribuir uma pontuação de probabilidade e gravidade para cada uma das ações que deseja executar na empresa. Assim, você descobrirá o que cada risco pode representar para a empresa e construirá um plano de ação posteriormente.

Dessa forma, uma vez estabelecidos esses critérios, definir incidentes, eventos ou condições específicas que representem risco para o negócio ficará muito mais fácil.

Mas atenção: a Matriz de Risco é relativamente fácil de construir e entender. No entanto, é preciso ter cuidado ao atribuir valores. Como em todos os esforços de planejamento e gerenciamento de risco, recomenda-se que os gestores saibam indicar as áreas de maior risco.

A utilização da ferramenta para o gerenciamento da empresa não apenas reduzirá a probabilidade do risco, mas também a magnitude de seu impacto nas operações.

Além disso, ela consegue fornecer dados oportunos que quantificam as ameaças e facilitam muito a organização a tomar algumas medidas antes que os problemas apareçam.

Você conhece a Matriz GUT? Ela é semelhante à Matriz de Riscos. Mas sua função é outra: priorizar ações. Confira este vídeo do nosso canal no YouTube e veja como construir e usar uma:

Por que todo gestor deveria utilizar a Matriz de Risco?

Infelizmente, muitas empresas ainda insistem em funcionar sem uma política formal de avaliação de risco. É comum ver que não há uma equipe que avalie diretamente o impacto dos riscos na organização e isso impacta diretamente na definição de um plano de ação rápido.

Estamos tão acostumados a arriscar desnecessariamente, seja no âmbito pessoal ou profissional, que a tendência é ignorar os menores riscos e apenas reagir quando ocorrem.

Mas é por isso que o gerenciamento eficaz dos riscos traz um diferencial enorme para as empresas que possuem a preocupação em se prevenir.

Algumas das vantagens de utilizá-la são:

  • Traz uma percepção geral para a avaliação dos riscos, ajudando todas as áreas de uma organização;
  • Para ações que ainda não possuem dados e números completos, é possível se preparar antecipadamente a todos eles;
  • A organização pode ajustar os critérios de risco para corresponder às circunstâncias de cada negócio;
  • Consegue considerar o máximo de variáveis possíveis que existem em uma empresa.

Veja também: Como minimizar riscos e ter mais transparência? Use as melhores formas de gestão de riscos

Exemplo de Matriz de Riscos

Imagine uma empresa de construção civil, que está prestes a iniciar um grande projeto de construção de um complexo residencial. A empresa reconhece que diversos riscos estão associados a este tipo de projeto e por isso, vai trabalhar junto à Matriz de Risco.

Desenvolvimento da Matriz de Risco:

  1. Identificação de riscos: a empresa começa identificando os riscos potenciais do projeto. Alguns desses riscos podem incluir:
    • Atrasos devido a condições climáticas adversas;
    • Exceder o orçamento devido ao aumento dos custos dos materiais;
    • Riscos de segurança no canteiro de obras;
    • Problemas legais relacionados a regulamentações de construção;
    • Falhas na qualidade de construção.
  2. Avaliação dos riscos: Em seguida, a empresa avalia cada risco em termos de probabilidade e impacto. Por exemplo:
    • Atrasos devido ao clima podem ter alta probabilidade, mas impacto médio;
    • Exceder o orçamento pode ter média probabilidade, mas alto impacto;
    • Riscos de segurança têm baixa probabilidade, devido a rigorosas medidas de segurança, mas alto impacto.
  3. Priorização dos riscos: com base na avaliação, a empresa prioriza os riscos. Riscos com alta probabilidade e alto impacto, como exceder o orçamento, são colocados no topo da lista.
  4. Desenvolvimento de estratégias de mitigação: para cada risco priorizado, a empresa desenvolve estratégias de mitigação. Por exemplo:
    • Para atrasos climáticos, a construtora pode incluir uma margem de tempo adicional no cronograma do projeto.
    • Para controlar o orçamento, a empresa pode negociar contratos de preço fixo com fornecedores.
    • Para riscos de segurança, a empresa ainda pode implementar treinamentos de segurança adicionais e inspeções frequentes no canteiro de obras.
  5. Monitoramento e revisão: a construtora estabelece um processo contínuo de monitoramento dos riscos e revisão das estratégias de mitigação. Isso inclui reuniões regulares de revisão de projeto e atualizações da matriz de risco.

Próximos passos

Matrizes de risco podem e costumam ser fundamentais para as organizações como um todo. Afinal, definir o nível dos riscos ajuda tanto os gestores quanto os analistas a entenderem a gravidade das suas ações e como elas podem impactar a empresa.

Espero que tenha conseguido te ajudar quando o assunto for o que é Matriz de Risco. O nosso objetivo aqui é permitir que a sua empresa possa cultivar uma gestão de risco eficaz, permitindo que o gerenciamento seja organizado e planejado.

Quer conhecer ainda mais uma matriz que pode ajudar na gestão segura do seu negócio? Então, baixe nossa planilha gratuita: Planilha Automatizada – Análise de Pareto

analise de pareto

O próximo passo na gestão da sua organização é conhecer a ferramenta que pode te auxiliar realmente.

Dessa forma, o ideal é contar com um sistema de planejamento estratégico que ajuda a aumentar, engajar e turbinar os seus resultados, com recursos visuais que melhoram o desdobramento estratégico da empresa.

Esse sistema de gestão empresarial, permite o acompanhamento integrado do desempenho corporativo, e o monitoramento e centralização de todos os indicadores, com foco na tomada de decisão.

E no mercado, um software que possui todas essas características é o STRATWs One, que permite aos gestores organizarem sua rotina de trabalho com melhor gerenciamento e engajamento de todo o time.

Ele é um software de gestão de performance corporativa robusto, estratégico e intuitivo que possibilita a você acompanhar indicadores de desempenho de processos, equipes e pessoas, tornando a percepção da situação de sua empresa muito mais ágil e confiável.

Dessa forma, toda a gestão estará acompanhada de soluções que são capazes de realmente otimizar a visão dos colaboradores.

Quer saber mais?

Revolucione a gestão da sua empresa com o STRATWs One e conheça a nossa solução.

avaliação de desempenho - tipos de avaliação de desempenho - stratws one