Gestão Estratégica

5 ferramentas existentes para análise e gestão de risco: como ser bem-sucedido nas decisões de negócio

5 ferramentas existentes para análise e gestão de risco: como ser bem-sucedido nas decisões de negócio

Publicação : 28/08/2019

Por Siteware

7 min

Toda empresa está exposta a riscos. Algumas mais, outras menos.

Mas a questão é: como você gerencia esses riscos a fim de reduzir ao máximo o impacto deles no seu negócio?

Pensando nisso, listamos aqui 5 ferramentas existentes para análise e gestão de risco que você precisa conhecer.

Por isso, continue a leitura e saiba como essas dicas podem ajudar no sucesso da sua empresa.

Veja também: O que é Matriz de Risco: passo a passo para implementar essa ferramenta na sua organização

5 ferramentas existentes para análise e gestão de risco

1 – PFMEA

Dando início à nossa lista de ferramentas existentes para análise e gestão de risco, temos o PFMEA – Process Failure Mode and Effective Analysis.

O objetivo do PFMEA é identificar e avaliar as chances que determinado processo tem de dar errado e suas consequências. 

Além disso, essa ferramenta sugere quais ações precisam ser tomadas para que seja possível minimizar ou mitigar a probabilidade de tais falhas acontecerem.

O PFMEA também classifica as falhas de acordo com:

  • a probabilidade de ocorrência;
  • as maneiras de detectá-las;
  • as ações que devem ser tomadas em cada caso. 

Para maior sucesso, recomenda-se iniciar o PFMEA a cada novo processo e mantê-lo até que o ciclo de vida do processo em questão se encerre.

Conheça também: FMEA: exemplo prático para identificar falhas e melhorar a qualidade de processos e produtos

2 – What If

O What If é uma ferramenta simples e focada na identificação de riscos e pode ser utilizada em qualquer etapa do seu projeto.

Suponhamos que você queira abrir uma filial da sua loja. Com a ferramenta What If, você e sua equipe podem se questionar:

  • e se essa loja nova for em outra cidade?
  • e se trocarmos de fornecedor?
  • e se a obra atrasar?
  • e se o orçamento estourar?

Porém, a aplicação dessa ferramenta requer várias reuniões com pessoas que entendem os processos e os subprocessos.

Com as respostas em mãos, consegue-se identificar riscos genéricos que não necessariamente precisam ser aprofundados. Em seguida, é possível propor medidas preventivas a esses possíveis riscos. 

Saber identificar riscos é importante, mas e suas causas? Veja como fazer isso neste vídeo:

3 – Checklist

O Checklist possui aplicação bem fácil. Para implementar esta ferramenta, é necessário ter como base os riscos já identificados em processos anteriores.

Em uma tabela, você deve listar as medidas de enfrentamento de riscos previamente identificados e, ao lado de cada uma delas, colocar as opções “Sim”, “Não” ou “Não Aplicável”.

Com a ferramenta de Checklist, você utiliza sua experiência em outros projetos para prever e evitar os riscos.

4 – Análise Preliminar de Riscos

Sempre que você for iniciar um novo projeto, recomenda-se fazer uma Análise Preliminar de Riscos (APR). Ela tem como objetivo antecipar infortúnios para que, então, seja possível adotar medidas preventivas.

Sua aplicação é bastante simples. Basta listar todos os possíveis riscos de determinado processo ou atividade e suas respectivas causas e consequências. Depois, atribua a cada risco uma nota de 1 a 3, sendo 3 a nota para o risco mais grave.

Leia também: O que é gerenciamento de risco e como implementar em sua empresa

Analisar cenários também ajuda a prever riscos. Veja mais neste vídeo:

5 – Gráfico de Proximidade de Risco

Encerrando nossa lista com as principais ferramentas existentes para análise e gestão de risco, temos o Gráfico de Proximidade de Risco.

Proximidade refere-se a quão perto da data atual o risco está.

Por exemplo, o risco de um fornecedor não entregar o equipamento requerido pode ter uma proximidade baixa se a data de entrega estiver longe no futuro. Mas, se a data de entrega for para a próxima semana, o risco tem uma alta proximidade.

A proximidade pode ajudá-lo a priorizar os riscos, pois indica quais estão mais perto de surgir.

O eixo X representa a linha do tempo até o final do projeto e o eixo Y mostra o impacto ou a gravidade. Assim, um risco próximo de “Hoje” e no topo do gráfico com alta severidade é definitivamente o que você precisa examinar com urgência.

Este modo visual de rastrear a proximidade do risco é bom, pois mostra os grandes riscos que vêm no horizonte e deixa claro quanto tempo você tem para fazer algo sobre eles.

Ficou claro quais são as 5 principais ferramentas existentes para análise e gestão de risco? Qual delas você vai utilizar para gerenciar os riscos da sua empresa?

Leia mais: Como minimizar riscos e ter mais transparência? Use as melhores formas de gestão de riscos

O STRATWS One é um software de gestão de performance corporativa que auxilia na criação, acompanhamento e divulgação de indicadores. Assim, fica bem mais fácil perceber se algum risco se aproxima.

Revolucione a gestão da sua empresa com o STRATWs One

Daniella DoyleJornalista e Publicitária de formação, está no mercado há mais de 15 anos com foco em gerar resultados para empresas B2B por meio de estratégias online e offline. Adora uma nova tendência e trabalhar com métricas e metas. É gerente de marketing na Siteware e, quando sobra um tempinho, aproveita para tricotar e pintar!

Depois de descobrir os riscos, que tal identificar suas causas? Então, baixe nosso e-book gratuito e conheça uma ferramenta que pode ajudar você: Tudo sobre o Diagrama de Ishikawa

Deixe uma resposta


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *