Logo siteware

Aprenda os 6 principais tipos de gestão empresarial e veja qual tem mais a ver com a sua empresa

CONTEÚDO

Publicação:
Publicação:
líder conversa com equipe sobre tipos de gestão empresarial

CONTEÚDO

Todas as pessoas que têm uma empresa ou trabalham em cargos de tomada de decisão lidam com a gestão no seu dia a dia. O que muita gente não sabe é que existem vários tipos de gestão empresarial que podem adotar para alcançar a excelência.

A gestão é um conjunto de metodologias e estratégias que o executivo combina para alcançar a eficiência financeira e operacional para chegar aos melhores resultados. Para escolher o melhor dos tipos de gestão financeira para a sua empresa, você deve considerar três fatores chave, que são:

  • A natureza do negócio;
  • A cultura organizacional;
  • O perfil do líder e o seu estilo de liderança.

Continue a leitura para saber mais sobre os 6 principais tipos de gestão empresarial e identificar qual delas vai ajudá-lo a traçar o caminho do sucesso na sua empresa.

Se você se interessa por esse assunto, vai gostar de ler também o nosso artigo sobre modelos de gestão:

Os 6 tipos de gestão empresarial mais usados

1. Gestão democrática

A gestão democrática tem como principal característica envolver todos os integrantes da equipe na tomada de decisão. O líder que adota esse tipo de gestão administrativa precisa valorizar a comunicação e estabelecer canais eficientes para a troca de informações entre os profissionais que trabalham com ele.

Também é importante ter uma boa habilidade para delegar tarefas, uma vez que, na gestão democrática, os colaboradores têm certo grau de autonomia para decidir sobre tarefas que competem a eles.

Uma das principais vantagens desse tipo de gestão é o engajamento da equipe. Todos se sentem responsáveis pelo sucesso ou pelo insucesso de uma ação, portanto, todos se comprometem com o seu melhor. Mas há que se ter cuidado: como todos participam da tomada de decisões, isso pode tornar o processo mais lento, o que pode até levar à perda do timing para ação.

2. Gestão centralizadora

A gestão centralizadora é quase o oposto do tipo anterior. Ou seja, as decisões estratégicas são tomadas na C-section da empresa, pelos diretores. O modelo se reproduz nos diferentes níveis hierárquicos, fazendo com que os gerentes de área e demais gestores sejam os responsáveis pelo direcionamento da equipe.

A grande vantagem desse modelo é a rapidez na tomada de decisão, afinal, o poder do “sim” ou “não” está na mão de uma única pessoa. Por outro lado, o gestor que opta por esse modelo pode pagar um preço alto em termos de motivação e engajamento da equipe.

A linha entre a centralização saudável e o autoritarismo é tênue, e é necessário ficar atento para não ultrapassá-la. O gestor pode passar a impressão de não confiar na equipe, que vai ficando desmotivada. Além disso, a carga da tomada de decisão e da responsabilidade pode sobrecarregar o gestor.

Se você quer dar uma forcinha a mais no engajamento da sua equipe, leia o nosso e-book sobre o assunto. Baixe-o gratuitamente:

3. Foco em processos

Na gestão com foco em processos, há uma preocupação grande em garantir que todas as operações da empresa sejam feitas de forma padronizada e organizada. Assim, os processos estão no centro desse modelo de gestão.

O líder que opta pela gestão com foco em processos costuma ter uma tendência ao perfeccionismo, já que ele está em uma constante busca por melhorar a forma como as coisas são feitas para aumentar a eficiência e melhorar os resultados.

Uma vantagem desse tipo de gestão empresarial é o fato de não ser centrada nas pessoas. Ou seja, mesmo que você perca um membro da sua equipe, quem chegar para substituí-lo terá certa facilidade para pegar a rotina, porque os processos são claros e descritos com detalhes. O maior risco é o líder não sair do lugar, preocupado em encontrar o processo perfeito.

Você pode usar uma planilha para gerenciar os projetos, como esta da Pluga:

4. Foco em resultados

A gestão com foco em resultados é o outro lado da moeda do tipo de gestão que abordamos anteriormente. Neste tipo de gestão administrativa, o mais importante é alcançar (ou até superar) a meta. O caminho até lá vai depender dos envolvidos, e o líder não está muito preocupado com as etapas intermediárias.

Ao mesmo tempo em que dá bastante liberdade para cada colaborador explorar a sua abordagem de preferência e fazer as coisas do jeito mais eficiente para si, este tipo de gestão exige cautela. É necessário algum grau de documentação dos processos, ou será necessário reinventar a roda novamente quando um novo desafio for apresentado.

Já conhece a nossa planilha de metas? Baixe gratuitamente para alcançar seus objetivos mais facilmente:

5. Cadeia de valor

Criado por Michael Porter, um dos papas da gestão empresarial, em 1985, a cadeia de valor parte do princípio que uma empresa só consegue prosperar e vender os seus produtos ou serviços se o consumidor enxergá-los como valor. Portanto, o foco da gestão baseada em cadeia de valor é, em última análise, gerar valor.

Nesse modelo de gestão, todas as etapas da cadeia são levadas em consideração, desde a concepção dos produtos ou serviços até o pós-venda. Sabendo o valor gerado em cada etapa e também os custos envolvidos nisso, é possível alcançar uma maior eficiência financeira — reduzir os custos e aumentar os ganhos.

6. Ciclo PDCA

O PDCA é uma metodologia que tem como princípio a melhoria contínua. Não por acaso, a sigla significa:

  • Plan = planejar
  • Do = fazer
  • Check = verificar
  • Act ou adjust = agir ou ajustar

Ou seja, tudo começa com o planejamento, de acordo com o objetivo estratégico da empresa. Depois, esse plano é colocado em prática. Na terceira fase, é hora de verificar os resultados e fazer o balanço do que funcionou bem e daquilo que pode ser melhorado. Por fim, vêm os ajustes, a partir da análise feita anteriormente.

Ainda tem dúvida sobre o ciclo PDCA? Assista ao vídeo a seguir:

Todos os tipos de gestão empresarial apresentados — particularmente a gestão com foco em processos e o ciclo PDCA — beneficiam-se muito do monitoramento dos indicadores. Independentemente do seu estilo de gestão, você vai precisar acompanhar as métricas para entender se as ações estão levando a empresa no caminho desejado.

A forma mais fácil e eficiente de fazer isso é com a ajuda de um software de gerenciamento de KPIs, como o STRATWs One. A plataforma, que também transforma em processos toda a sua metodologia de gestão, permite estabelecer de forma bastante simples os indicadores mais adequados para a sua gestão operacional.

Atualmente, empresas como a Unimed, Centauro e Dotz já descobriram as vantagens de trabalhar com esse sistema e puderam comprovar os resultados que a tecnologia agregou para o seu dia a dia.

Solicite uma demonstração gratuita e eleve para outro nível a gestão da sua empresa!

Deixe um comentário


O seu endereço de e-mail não será publicado.

[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]