Ir para conteúdo
Gestão da inovação nas organizações

Inovação disruptiva, inovação descontínua, inovação radical.

Hoje esses temas fazem parte do vocabulário corporativo e, muitas vezes, são empregados de forma incorreta.

A inovação é um tema bastante recorrente no mundo corporativo. Com um mercado cada vez mais competitivo, dinâmico e exigente, inovar é palavra de ordem para as empresas que querem crescer e liderar a concorrência.

Comumente associada à criatividade, a inovação é um processo coordenado que também envolve viabilidade e demanda.

É preciso que alguém esteja interessado pela novidade ou produtos que se deseja lançar no mercado!

  • A criatividade é o que vai gerar uma ideia, seja ela incremental ou disruptiva;
  • A viabilidade se refere à possibilidade de concretizar a ideia, analisando aspectos financeiros, técnicos, logísticos, operacionais, mercadológicos, etc;
  • A demanda, por sua vez, diz respeito ao interesse do público por essa ideia inovadora.

Para que uma empresa apresente bons resultados, não basta simplesmente inovar. É preciso que se faça uma gestão eficiente da inovação, considerando os três fatores citados anteriormente e todas as etapas que vão desde a ideia até a sua aplicação prática.

Mas, afinal, como fazer a gestão da inovação nas organizações?

Separamos 6 dicas para te ajudar nessa tarefa e, assim, gerar mais valor para a sua empresa.

Antes de ver as dicas, confira este vídeo que vai te ajudar a ser mais criativo:

6 dicas de gestão da inovação nas organizações

1 – Inovação como prioridade

A inovação deve estar inserida no DNA da organização e, assim, ser encarada como prioridade em todos os procedimentos estratégicos.

É preciso que a inovação esteja em consonância com os objetivos e com a cultura da empresa, além de fazer parte de sua estratégia de crescimento.

2 – Identificação das necessidades e oportunidades

A mais importante dica para gestão da inovação nas organizações é identificar as principais necessidades e oportunidades da empresa.

Para isso, é preciso fazer uma análise dos ambientes interno e externo da organização. Dessa forma, fica mais fácil planejar e desenvolver as ideias de inovação.

Veja mais: Análise SWOT para planejamento estratégico: quais seus pontos fortes e pontos fracos?

3 – Benchmarking de inovação

O benchmarking pode ser definido como uma prática que consiste em olhar para os feitos de sucesso da concorrência e tentar adaptá-los à realidade da sua empresa.

Para a gestão da inovação nas empresas, o benchmarking de inovação acontece quando as organizações buscam inspiração em ideias dos concorrentes ou até mesmo de outros mercados.

A Netflix, por exemplo, inovou no mercado de filmes e séries e revolucionou a maneira com que as pessoas consomem esses produtos audiovisuais.

Em seguida, várias empresas (muitas delas já consolidadas) desenvolveram a sua própria plataforma de streaming baseadas no modelo Netflix.

A citar: Amazon Prime, HBO Go, Looke, Telecine Play, Globo Play, etc.

4 – Ambiente favorável à inovação

A inovação nasce da criatividade. Por isso, é fundamental fornecer aos colaboradores um ambiente que favoreça o pensamento criativo e, consequentemente, a inovação.

Estimule a participação de todos na geração de ideias, horizontalize a comunicação dentro da empresa, promova o diálogo e a troca de conhecimento, dê liberdade criativa para os funcionários.

Na Toyota, por exemplo, todos os colaboradores são incentivados a propor novas ideias, do chão de fábrica até os cargos de diretoria. Essa prática de gestão da inovação nas empresas tem feito toda a diferença nos índices de competitividade e de produtividade da Toyota.

Este vídeo (em inglês) elaborado pela Harvard Business Review explica de forma bem didática, como funciona a inovação disruptiva e a importância de um ambiente empresarial independete para isso :

5 – Parcerias

Investir em parcerias durante o processo de inovação permite à empresa alcançar melhores resultados.

Dessa forma, é interessante contar com a ajuda de instituições que já têm vasta experiência no que se refere à gestão da inovação nas organizações, como universidades, consultorias especializadas, incubadoras de startups, etc.

Ao selecionar os parceiros, é importante que se tenha clareza na estratégia e compatibilidade cultural.

6 – Profissionalismo

Inovar com profissionalismo é saber estruturar o processo de inovação.

No que tange a gestão da inovação nas empresas, pode-se utilizar softwares de gerenciamento de projetos para planejar, controlar distribuir e acompanhar todas as atividades referentes à inovação.

Há também plataformas colaborativas nas quais os envolvidos no processos de inovação podem interagir entre si de forma prática, bastando estarem conectados à internet.

A gestão da inovação nas organizações, quando feita de maneira eficiente, tem o poder de transformar o potencial inovativo da empresa em realidade concreta e lucrativa.

Depois de desenvolver e colocar em prática a inovação, é fundamental acompanhar os resultados e verificar se os objetivos desejados estão sendo alcançados.

Com o STRATWs ONE, um software de gestão de performance corporativa desenvolvido pela Siteware, você poderá não apenas detectar oportunidades de melhoria para lançar inovações, como acompanhar indicadores de performance e fazer a gestão do portfólio de projetos.

Revolucione a gestão da sua empresa com o STRATWs One

Startups são famosas por lançar inovações no mercado. Mas o que é, afinal de contas, uma Startup? Confira baixando nosso infográfico gratuito: O que é uma Startup